No Balcão do Quiosque

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Divagações sobre a Saudade

Amigos do Quiosque, esse texto vem diretamente de uma viagem astral. E viajando aportou aqui para nosso deleite.

Estou falando de um corpo celeste chamado ASTERÓIDE e tal e qual o Pequeno Príncipe reside e rega sua rosa um homem generoso chamado Leonel
Para saber mais sobre ele, acesse
http://asteroide-leonel.blogspot.com

Quando lá estive passeando, vendo as rosas e suas diversas criações e mensagens, deparei-me com esse texto repleto de verdades, angústias, limitações e complexidades - ingredientes que fazem parte da massa de um bolo chamada de SER HUMANO!

Obrigada querido Leonel, nosso "Pequeno Príncipe"!
carinhosamente
Lu C.

***************************************************************

(Minha desengonçada e curta análise de um sentimento contraditório, sem querer plagiar as pessoas bem mais talentosas que já escreveram sobre este mesmo tema.)


Sentir saudade de lugares onde nunca estivemos, de amores que nunca vivemos, de pessoas que nunca conhecemos...

Sentir saudades de falsas lembranças...

Sentir saudades de momentos que hoje nos parecem especiais...

Momentos que ficaram congelados nas dobras do tempo, acessíveis apenas para os que habitam as dimensões superiores à nossa...

Momentos que nem nos pareceram tão bons...

Momentos que hoje lembrados nos fazem pensar o quanto éramos felizes e não sabíamos...

A saudade muitas vezes é usada para ilustrar situações melancólicas, como uma causa do sofrimento e da dor. Mas isto me parece uma falsidade e uma calúnia!

Pois só sentimos saudade dos momentos bons, reais ou imaginários.

Como a lembrança de coisas boas pode nos causar dor?

Certamente não é por culpa da saudade.

O que pode nos causar a dor é a comparação com a situação atual, se esta for menos gratificante do que aquela que recordamos.

Este conflito é que pode nos deixar tristes, por estarmos vivendo este momento, e não aqueles das lembranças.

Mas, a lembrança de bons momentos os faz reviver, e isso é reviver boas sensações.


Nossa limitação para transpor as barreiras do tempo é que nos deixa frustrados.


A angústia vem da sensação de perda, a quase certeza de que não viveremos mais momentos como aqueles.

A visão daquela borboleta colorida saindo do casulo num recanto do jardim...o peixinho prateado saltando da água, fisgado no nosso anzol...aquele beijo de improviso, ansioso, despreparado e nervoso... o primeiro e esganiçado choro de um bebê...o gol num chute certeiro, acertando no lugar certo e estufando a rede...A sensação da primeira saída sozinho no seu próprio carro, com as pernas bambas...a emoção ímpar de ver seu nome numa lista dos aprovados, entre tantos candidatos...

Cada um tem os seus momentos para recordar e sentir saudade...

Até mesmo momentos imaginários...

by Leonel

11 comentários:

Leonel disse...

Obrigado, Lu, por me dar a honra de compartilhar este espaço com as pessoas talentosas que o habitam...
Abraços!

R. R. Barcellos disse...

Lembro dessa passagem do Asteroide... em órbita de quase-colisão, roçou nossos sentimentos...
Parabéns aos dois. Abraços.

Milene Lima disse...

Leonel, o pequeno príncipe. Adorei isso!

Ele criou mesmo um texto lindo e ainda ficou se justificando chamando de desengonçada a sua análise sobre a saudade. Bati nele, mas com carinho... Rrsrs.

Bacana ler esse texto por aqui. Adoro falar e ler da saudade.

Beijos, caro cronista e cara presidente do Quiosque.

MARILENE disse...

Todos temos momentos especiais para recordar, se não nos fixamos naqueles que gostaríamos de esquecer. E a saudade é bela, porque se existe, o momento o foi.
Muito lindo!

Bjs.

Lu Cavichioli disse...

Eu que agradeço, Leonel.
O Quiosque é um blog versátil e de utilidade pública também. E de quando em vez alguma poesia paira por aqui pra gente não deixar os sonhos escaparem. Bem como essa tua prosa, cheia de lirismo.

abraço-o com carinho
Lu C.

Lu Cavichioli disse...

Hehehe... Verdade RR, quase colisão. Porém se essa colisão acontecesse um super nova nasceria com o nome de ESTRELA DA SAUDADE!

Opaa isso dá futebol... seinão... rsrs

bacios caríssimo
amodoru

Lu Cavichioli disse...

Ce viu Mizinha, Nosso Pequeno Príncipe... rsrs... tb gostei rs!!

A saudade é vasta tanto na dor quanto na maldita insistência em existir.

Bacios, adorei tua visita. E vc tpa me devendo uma crônica Dona Miss lene! rs

bacios cara mia

Lu Cavichioli disse...

Olha só a Mari, ela diz a saudade é bela, porque ela existiu e nós vivemos momentos bons e outros nem tanto.

A saudade tem o poder de deixar rastros. O segredo estar em saber trilhar.

bacios caríssima!!

Janice Adja disse...

Recordar é a hora da lucides.
Beijos!

VELOSO disse...

Bacana ver o Grande Leonel por aqui curti demais o cara é muito especial para todos que o conhece!
Gente que tal desabilitar as palavras de confirmação ai debaixo tá dificil de decifrar!

Elisa T. Campos disse...

Lindo texto, Lu.
Vou até lá para conhecer.

Obrigada
Beijos.