No Balcão do Quiosque

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Da Série Pastel requentado - garimpando relíquias


 
CORDAS

A vida é muito generosa. Ela sempre nos dá muita corda. Podemos, com elas, construir pontes, amarrar os barcos ao cais, montar escadas que vão até o céu.



Cordas também podem ser desfiadas, e com elas, construímos belos cestos, e até mesmo redes para descansar. Já vi uma luminária feita de corda que era a coisa mais linda, lá em Natal. Pena que ficaria meio-sem jeito, trazê-la dentro do avião. Mas tenho um abajur em minha sala cuja cúpula é feita de corda trançada.



Tive belas sandálias com solas de corda, e uma vez, um chinelo, desses de andar dentro de casa, todo feito de corda.




Minha vizinha tem uma cadeira com assento de corda, bem rústica, que é uma belezura só.



Se alguém pode falar com propriedade sobre as cordas e os cipós, este alguém é o Tarzan. Ele os usa para locomover-se com rapidez dentro da floresta, evitando, assim, os percalços do solo. Paira sobre as árvores, em seu voo alucinante, acompanhado de seu tão famoso grito: "Ôôôôô..."



As cordas são uma invenção muito útil. Pena que, um dia, foram usadas para punir seres humanos. Mas aquelas eram outras cordas, de uma época selvagem.




Mas infelizmente, algumas pessoas recebem uma grande quantidade de corda da vida, que lhes é generosa. Mas o grande problema é que não sabem o que fazer com elas. Acabam enrolando-se completamente nas suas cordas, ao invés de criar alguma coisa útil com elas. Pior: alguns acabam enrolando-a em volta do próprio pescoço, e infelizmente... matam-se com as cordas da vida.



Isso sempre acontece quando alguém tenta 'enrolar' o outro. As atitudes ficam sempre muito óbvias. Acham-se grandes vencedores, pois pensam ter derrotado os seus inimigos, sem perceberem que seus maiores inimigos são eles próprios. Mas todo mundo vê. E de nada adianta alguém tentar avisá-lo.


Assim é bem melhor!

By Ana Bailune


sábado, 2 de novembro de 2013

Pastel Requentado ou...

... Repostagem, fica a gosto do freguês! Recontando Histórias do Quiosque... Só garimpando!


INOCÊNCIA

Imagem: Josephine Wall (direitos reservados)

Relembro hoje aquele dia ensolarado
Em que tu me ofereceste a rendição;
Quando em vez de te fisgar eu fui fisgado
No teu jogo tão sutil de sedução.

Derrotei tuas negaças, teus receios,
Desnudei teus pensamentos indiscretos,
Conquistei os altos cumes dos teus seios,
Visitei os teus lugares mais secretos.

As mãos minhas escalaram róseos montes
E meus dedos deslizaram por ravinas;
Os meus beijos encontraram tuas fontes,
Meu desejo cavalgou pelas campinas.

Minha alma se perdeu em teus cabelos,
Minha voz em teus gemidos se esvaiu;
Meu abraço calou todos teus apelos
E o meu ser em teu ser se consumiu.

Explorei teus sentimentos mais profundos;
Meus sentidos no teu corpo se afogaram.
Descobri os quatro cantos de teus mundos,
Minhas pernas com as tuas se trançaram.

Invadi então teu templo mais sagrado
E prostrei-me ante o altar de teu prazer;
Oferendas lá depus de apaixonado,
Em penhor de todo este meu querer.

E assim me despedi da adolescência
E ingressei num novo mundo sedutor;
Com o sexo me roubaste a inocência
E depois ma devolveste com o amor.

Ó tu, que me conduziste às alturas!
Ó tu, que me levaste às profundezas!
Ó tu, que me trouxeste tais loucuras!
Ó tu, que me exorcisaste as tristezas!

Bendita sê! Bendita a dita minha,
Pois que em meu coração inda és rainha!

Niterói, janeiro de 2011
Rodolfo Barcellos
Imagem: uso não comercial, conforme os termos do "site" da autora. Ver: http://www.josephinewall.co.uk/licensing.html

domingo, 20 de outubro de 2013

Brilhantes no Jardim





Sonhei que chovia de madrugada, mas a chuva não era feita de água e sim de finos grãos que brilhavam desde os céus.

Eu estava deitada em meio às minhas flores - um jardim de gérberas vermelhas - onde a biodiversidade era infinita. Estranhamente eu me sentia como Gulliver, porem sem amarras - o que já era a própria libertação. Libertação não do corpo, mas do espírito.




Levantei e me sentei um tanto atordoada e vi casinhas rodeadas de cogumelos vermelhos, amarelos, onde homenzinhos alegres carregavam tortas de amora de um lado para o outro.







A chuva continuava caindo, e brilhava como os fios dourados que envolvem tecidos elegantes. Foi aí que eu vi pezinhos delicados que deslizavam suaves entre o pó dourado.

Balancei a cabeça para atinar minhas idéias e vi criaturas de asas transparentes que rodopiavam no ar descendo até o solo, mas seus pés não o tocavam. Eram muitas e todas caiam sobre mim, cobrindo também as gérberas e tudo ao redor tomou aspecto de um camafeu nacarado, bordado com dezoito quilates e vinham como as águas límpidas no telhado das casas.



O tráfego terreno continuava com uma normalidade fantástica e ao mesmo tempo comum.
Joaninhas perambulavam com cigarras e uma bem peralta, subia as escadas explorando o ambiente - (eu acho que era a nossa amiga Chica, mas sabe-se lá... Abelhas entoavam óperas, e das flores jorravam nectarinas que tinham o tamanho de jabuticabas.






Num ímpeto estendi minhas mãos para ver se conseguia capturar alguma criaturinha e seu brilho, mas foi inútil porque elas passavam pela palma de minhas mãos atravessando minha pele.



Resolvi então deitar no tapete dourado que se formou no solo e meus olhos se abriram para a verdade da vida. Respirei odores de sândalo abrindo a janela...
Qual não foi minha surpresa?!

Na quietude da aurora perguntei:

Choveu fadas no Jardim?!



quinta-feira, 17 de outubro de 2013

♥ Desejos de Primavera... ♥


Desejos de Primavera...

Espero que nessa primavera eu possa...
perceber com alegria
cada botão em flor
que pela minha vida
desabrochar.

Espero que nessa primavera eu possa...
Ouvir os alegres cantos
dos pássaros que,
a nova estação.
estão, em coro, a saudar ...

Espero que nessa primavera eu possa...
Tantos perfumes sentir
pelos caminhos
que porventura
venha  a passar...

Espero que nessa primavera eu possa...
ver o céu azul
as flores coloridas
borboletas voando
crianças a brincar...

Espero que nessa primavera eu possa...
apreciar toda natureza
saber ver, agradecer
a quem ela, cada ano
nos permite presenciar.


chica

*Atendendo ao pedido da Lu, vim tirar o mofo e afofar a terra para que venham flores em nossa Primavera ...


quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Quiosque na Primavera

Oi gente, minha vida está super corrida por causa do trabalho e não estou conseguindo mais postar quase nada em meus blogs e nem aqui.

Peço aos colaboradores que venham de vez em quando abrir as janelas e portas do Quiosque para que não haja o bolor do esquecimento, mesmo porque primavera e flores não combinam com mofo. Portanto, vos convido a postar o que quiserem com o tema PRIMAVERA.
 O balcão anda cheio e a fila anda.. Bora lá!

Abraços da Lu



sábado, 21 de setembro de 2013






Amigos, seguidores e cronistas do Quiosque do Pastel, é com tristeza que venho comunicar o falecimento do esposo da nossa amiga Marly Bastos http://apenaspalavresias.blogspot.com.br


Marly, saiba que estamos todos com o coração apertado e dividindo tua dor entre nós, teus amigos da blogosfera.
Que Deus derrame consolo e fortifique teu coração para que siga em frente, porque nós sabemos o quanto és guerreira, embora tuas forças neste momento estejam caladas.
Estou aqui em  meu nome e de teus colegas aqui do  Quiosque do Pastel .
Siga tua vida em paz querida Marly e que essa lacuna, aos poucos se torne menos dolorosa, porque Deus assim a fará.





Lu Cavichioli & Equipe


quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Jardins & jardineiros









Todo mundo que tem um jardim em casa, por menor que seja, sabe das dificuldades de se conseguir um bom jardineiro; ou melhor: das dificuldades de se conseguir qualquer jardineiro, seja bom ou ruim. Acredito que em breve, encontrar pessoas que façam serviços caseiros - jardinagem, pequenos consertos, pintura - ficará muito difícil e muito caro! Quem sabe, serão estas as profissões do futuro?


E olhem que nem sou do tipo 'Madame Chata", que reclama de tudo, que exige que o jardineiro saia exatamente às cinco da tarde (por mim, ele pode sair às duas, desde que o jardim esteja pronto). Pago no mesmo dia, não peço descontos, aqueço a refeição deles (com direito a suco ou refrigerante e sobremesa, se tiver) e ainda sirvo um senhor lanche à tarde. Nem sequer exijo perfeição... só quero alguém que venha aqui no dia marcado e faça o meu jardim.








Vejo a vizinha lidando com seus jardineiros, e de vez em quando, rola um estresse feio! Posso escutá-la daqui de dentro da minha casa, reclamando do serviço e mandando fazer de novo. Mesmo assim, os jardineiros estão com ela há anos! Tentei contratá-los; ficaram contentes e marcaram para a semana seguinte. Acordei cedo para esperá-los, e conforme a hora ia passando, percebi que eles não iam aparecer... faltaram no primeiro dia de serviço! E o que mais me deixou indignada, é que eles acenaram para mim lá da casa da tal vizinha. Indaguei: 


"Não era dia de vocês trabalharem aqui?"

E um deles, na maior cara de pau:

"É, Dona Ana... mas a gente veio para cá hoje. Amanhã a gente vai trabalhar aí."

"Não precisa. Amanhã eu vou sair."

"Então nós vamos na próxima sexta!"

"Não precisam vir amanhã, nem na próxima sexta! Como eu disse, eu quero trabalhar com pessoas que tenham responsabilidade e cumpram com seus compromissos."

E a vizinha, fingindo constrangimento:

"Ah, Ana, eu não sabia que era o seu dia... deixa passar desta vez!"

Respondi que não deixaria de jeito nenhum.

Será que meu jardim está com 'urucubaca?' 







Então, lá vou eu de novo: pego o cortador de grama (embora ele tenha sido avariado pelo último jardineiro que passou por aqui) e vou para o gramado. Mas cortar a hera é serviço braçal demais para mim, além do muro ser alto demais.

Novamente, estou procurando por um jardineiro. Um que fique. Talvez eu tenha que virar uma Dona Ana chata e briguenta, exigente e detalhista para conseguir que alguém fique. Bem, vou tentar...





terça-feira, 20 de agosto de 2013

Paixão sem griffes

Não. Não te quero hoje Armani.
Hoje não te quero submissa e comportada,
Não te quero Dior ou Givenchy, Chanel ou Prada,
Vestida e perfumada, Cartier, Rabanne.

Desnuda-te! Despe a fantasia viva!
Quero-te pele, toque, suor e saliva!

Vem! Dá-me o doce mel de tuas flores!
Orvalha sobre mim teu corpo, sem pudores!
Quero-te cheiro, sabor, gemidos, paixão!
Quero-te prece e pecado, queda e redenção!
Delírio e sonho, carne, calor, ilusão...

Quero-te loucura, feitiço, luxúria,
Fera e fruto e fome e febre e fúria,
Frêmito, fogo, fêmea, força e flama...
Quero-te como és na tua profundeza
Quero derramar em ti minha certeza
De não saber qual de nós dois mais se derrama!

Niterói, agosto de 2013
Rodolfo Barcellos

terça-feira, 30 de julho de 2013

JUCA E ANA PAULA


Juca nunca namorou na vida, apesar dos seus 88 anos. Minto! Ele namorava a Ana Paula Padrão toda noite quando assistia o Jornal da Record [na verdade nem prestava atenção às notícias, mas sim na moça] . Era sua namorada. Gostava da sua voz firme e macia, do olhar direto que lhe arrancava suspiros e do sorriso largo quando lhe dava boa noite. Todo dia lá estava ela no único cômodo que era sua casa. Até que dia 20 de março desse ano foi o último dia que a moça apareceu para lhe visitar. Sumiu...

Juca ficou emburrado com o vizinho que cuida dele. Foi mais de um mês sem lhe dirigir uma única palavra. O vizinho tentou de tudo para saber o porquê da revolta e raiva, mas Juca apenas lhe devolvia o silêncio e o desprezo...  Depois de longo período calado ele desengasga o que lhe fere a alma:

- Pensa que não sei? Eu sei... Ela nunca mais veio me ver porque você fez saliências pra ela! Ficou de cueca na frente da minha namorada e ela ficou zangada comigo, e nunca mais veio me visitar.

O vizinho pensou, pensou e lembrou que no dia da despedida da moça do Jornal da Record, ele estando sem chuveiro e pediu para tomar banho na casa do Juca. Tirou as calças e camisa e colocou em cima da cama [já que não tinha cabide no banheiro] e rumou para o chuveiro de cuecas... E não é que a Ana Paula estava justamente nesse dia dizendo que ia sair do jornal da Record para “Cuidar das causas da mulher.”? Não adiantava dizer que a culpa não era dele, pois para um coração apaixonado era impossível argumentar as tecnologias e as suas possibilidades...

Juca ficou sem a única e agraciada namorada. Perdoou o amigo, mas mesmo hoje, quando lembra do sorriso que ela lhe dava, sempre vem uma magoazinha...

Marly Bastos







terça-feira, 16 de julho de 2013

O AMOR É ESTRANHO


Ahhh quão estranha é essa forma de amar! Seria perfeita se fosse aquela que o apóstolo Paulo nos ensina em I Coríntios 13:4-7: “O amor é sofredor, é benigno, não é invejoso, não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal, não folga com a injustiça e sim com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”
Todavia, amamos um amor enciumado, com contendas bobas às vezes. Sentimos medo de perdermos um ao outro; sentimos raiva por não sermos entendidos, de não sermos notados... Pensamos em desistir no meio do caminho quando sentimos os obstáculos maiores que nossas possibilidades[e muitas vezes voltamos ao ponto de partida...]. Irritamos por coisas corriqueiras, e fazemos de simples pingos de chuva uma tempestade.
Apesar de tudo, sinto que vale cada dia contigo, quando ao acordar vejo que me contempla com olhos de admiração. Admiração?? Como pode amor? Já não sou mais a jovenzinha que você conheceu e ao longo dos anos notou o meu transformar em mulher madura, um tanto mais segura, com uma voz mais mansa, uma personalidade mais flexível e um olhar mais profundo.
Esses dias, você me emocionou quando ao abrir meus olhos espantada pela hora já perdida para o trabalho,  disse-me simplesmente: “Eu podia ter te acordado, mas também perdi a noção do tempo ao contemplar sua beleza.”” Eu bela, e logo ao amanhecer? Cabelos desalinhados, lábios e olhos inchados?” “Sim, linda! Assim, lábios carnudos, olhos profundos que eu não canso de olhar a quase 30 anos...”
Veio-me tantas coisas para lhe dizer, mas fiquei com um nó na garganta... Aconcheguei-me em teus braços e deixei que as horas perdidas ficassem no tempo. Quase trinta anos sim! Conheci o amor quando olhou nos meus olhos! Conheci a paixão quando me beijou a alma, quando me despiu de pudores, quando me fez andar na “corda bamba” por mostrar-me que o céu pode ser tocado se os corações estão na mesma sintonia.
Houve sim muitos obstáculos em nossos caminhos, destrilhamos nossos rumos, mas os atalhos nos levaram ao mesmo lugar: Nossa vida juntos! Creio que os desencontros fazem parte do aprendizado, e é comum para qualquer ser humano. Somos humanos!
Inúmeras vezes já te declarei o meu amor, e nunca fui leviana em nenhuma dessas vezes! Leviana eu fui quando deixei de mostrar-te de formas diferentes o que tenho guardado na alma: Uma mistura madura de sentires tal como respeito, carinho, amor, amizade, confiança... Também não poderia mentir, dizendo somente coisas boas, pois em muitos momentos me sinto confusa e um pouco insegura, pois tenho medo que te vás e não me compre uma passagem para o mesmo destino...
Sinto raiva sim de você! Quando não consegue entender-me, quando teima em não ouvir o que realmente eu quero dizer, mas passa logo, pois sei que você não tem o dom da premonição, e nem de ter as mesmas opiniões que eu [afinal não são os opostos que se atraem?]. Fico chateada quando não percebe que troquei o esmalte “Vermelho Desejo” pelo “Vermelho Paixão”, sinto seu descaso quando não nota que tirei 2 cm do cabelo...  Mas te perdoo quando diz que sou linda ao acordar!
Sei que tenho me tornado mais dengosa, mais carente e isso se deve talvez porque já me sinto órfã dos filhos que criaram asas e querem deixar o ninho. Sou carente de você, de me fazer notar quando está concentrado em seus livros e estudos, de te provocar com gestos sensuais para ver aquele famoso brilho nos teus olhos.
Você sabe que sou louca e aceita a minha loucura! Sabe que eu busco no arco-íris o mundo coloridofeito pra nós, pois sei que ele existe.  Eu sou muitas em uma só e te amo de forma única, estranha, lúdica e misturada, pois o amor é tudo junto e separado: [In]certezas, [des]apego,  companhia,  amizade, paixão, respeito e por último, definitivamente ele é eterno [mesmo contrariando o poeta Vinícius de Moraes]

Marly Bastos

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Armagedon

     Em março/abril de 2010 o vulcão islandês Eyjafjallajökull deu uma tossidela que fechou metade dos aeroportos da Europa. Durante algum tempo, os noticiários deixaram de lado as matérias sobre o programa nuclear norte-coreano para roer um osso mais suculento. Isso me levou a publicar no Sete Ramos o artigo que se segue:

     Dizem que o poder de destruição do arsenal nuclear das grandes potências é suficiente para arrasar o mundo não sei quantas vezes. Não é bem assim: a energia liberada por terremotos, erupções vulcânicas e furacões excede em cada ano, por milhões de vezes, o total de megatons acumulados nos arsenais do mundo. Está aí o Eyj-seiláoquê, que não me deixa mentir.
     Acontece que as forças naturais atacam cegamente e geralmente deixam um saldo positivo na natureza, mesmo quando ceifam vidas humanas. As cinzas dos vulcões enriquecem o solo, os abalos sísmicos formam novos relevos, os fenômenos meteorológicos equilibram as diferenças climáticas.
     Já a arma atômica foi concebida com o único propósito de destruir. As ogivas têm endereço certo: locais de grande concentração humana e tecnológica. Por isso, é melhor dizer que uma eventual guerra atômica destruiria, sim, a civilização, mas não o mundo.
     E Gaia, após sacudir a poeira radioativa (em alguns milhares de anos, simples momentos para ela), voltaria à vida de sempre - e talvez melhor, sem a interferência desse acidente evolutivo que arrogantemente se autodenomina Homo Sapiens.
     Mas talvez tenhamos uma segunda chance. Após a destruição e o morticínio iniciais, o que restar da população humana continuará decrescendo, não só por conta dos efeitos da radiação residual, mas também pela falta absoluta de recursos tecnológicos, principalmente medicinais, dos quais nos tornamos cronicamente dependentes - remédios em geral, vacinas, antibióticos etc.
     E quando a Seleção Natural tiver descartado os menos aptos e talvez favorecido uns poucos mutantes positivos, é possível que surja uma nova humanidade, menos tecnológica e - com sorte - mais ajuizada. Resta saber se nela haverá lugar para gente como eu e você...

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Pátria Amada, Brasil!


Uma sociedade de carneiros acabará gerando um governo de lobos.         
(
Victor Hugo )

 
Os 5 Generais Presidentes
 
 

 

 
"Erros foram praticados durante o regime militar, eram tempos difíceis. Claro que, no reverso da medalha, foi promovida ampla modernização das nossas estruturas materiais . Fica para o historiador do futuro emitir a sentença para aqueles tempos bicudos."
Mas uma   evidência   salta   aos   olhos: a honestidade pessoal de cada um dos 5 Presidentes – Generais  !!!  
Quando   Castelo Branco morreu num desastre de avião, verificaram os herdeiros que seu patrimônio limitava-se a um apartamento em Ipanema e umas poucas ações de empresas públicas e privadas.    
Costa e Silva , acometido por um derrame cerebral, recebeu de favor o privilégio de permanecer até o desenlace no palácio das Laranjeiras, deixando para a viúva a pensão de marechal e um apartamento em construção, em Copacabana.  
Garrastazu Médici dispunha, como herança de família, de uma fazenda de gado em Bagé, mas quando adoeceu precisou ser tratado no Hospital da Aeronáutica , no Galeão.  
Ernesto Geisel , antes de assumir a presidência da República, comprou o Sítio dos Cinamonos, em Teresópolis, que a filha vendeu para poder manter-se no apartamento de três quartos e sala, no Rio.  
João Figueiredo , depois de deixar o poder, não aguentou as despesas do Sítio do Dragão, em Petrópolis, vendendo primeiro os cavalos e depois a propriedade. Sua viúva, recentemente falecida, deixou um apartamento em São Conrado que os filhos agora colocaram à venda, ao que parece em estado de lamentável conservação.
OBS: foi operado no Hospital dos Servidores do Estado, no Rio.  
Não é nada, não é nada, mas os cinco generais-presidentes até podem ter cometido erros, mas sempre pensando no bem comum dos Brasileiros , mas não se meteram emnegócios, não enriqueceram nem receberam benesses de empreiteiras beneficiadas durante seus governos. Não desviaram (ROBAR)  dinheiro das Estatais Federais.
> Sequer criaram institutos destinados a preservar seus documentos ou agenciar contratos para consultorias e palestras regiamente remuneradas .
Bem diferente dos tempos atuais, não é ?
Pois é... o pior é que ninguém faz nada !
Realmente , os únicos que podem fazer, são os nossos GENERAIS  !!!                                                                        
Acorda Brasil, o PT e o PMDB são uma corja de BANDIDOS, que estão no poder, destruindo aquilo de bom que foi feito pelos 5 GENERAIS  !!!
Acrescento , sobre os 5 GENERAIS:  
Nenhum deles mandou fazer um filme pseudo biográfico, pago com dinheiro público, de auto-exaltação e culto à própria personalidade!  
Nenhum deles usou dinheiro público para fazer um parque homenageando a própria mãe.  
Nenhum deles usou o hospital Sírio e Libanês.  
Nenhum deles comprou avião de luxo no exterior.  
Nenhum deles enviou nosso dinheiro para  "ajudar" outro país.  
Nenhum deles saiu de Brasília, ao fim do mandato, acompanhado por 11 caminhões lotados de toda espécie de móveis e objetos roubados .  
Nenhum deles exaltou a ignorância.  
Nenhum deles estava lá sem faculdade
Nenhum deles falava errado.  
Nenhum deles apareceu embriagado em público.  
Nenhum deles se mijou em público.  
Nenhum deles passou a apoiar notórios desonestos, de direita e esquerda, depois de tê-los chamado de ladrões.
Nenhum deles foi safado, mentiroso e vagabundo .
Nenhum  deles  viajou  para  a  Italia,  afim de  assistir a  posse de um  Papa,  com  uma  comitiva  que  usou por  3  dias  52  aptos de luxo  em  um  dos  hoteis  mais  caros do mundo,  usando ainda  lim u sines de luxo,carros  blindados, e caminhões baú  só  para carregar  a  bagagem pessoal – Ate os Presidentes Europeios, ficaram assustados !!!

  
  
Acrecentamos:
Agora um Pouquinho do que acontece com o governinho de HOJE:
Obviamente, tanto o PT, como o PMDB, são mantidos e suportados pela ignorância do povo Brasileiro, a qual é muito fácil de domesticar com bolsas e mais bolsas dirigidas aos ORFÃOS Brasileiros ( Os Carneirinhos ) , mas lembremos:
“”” O Verdadeiro Orfão, é aquele que não conhece a EDUCAÇÃO “””
O Sr. Lula ( Ignorante, Ladrão e Bandido ), Dona Dilma ( Guerrilheira, Ladra e Bandida ), e sua cambada de bandidos: Ze Dirceu, Genoino, etc, não tem nenhum tipo de Honestidade – Não – Não , já foi comprovado via STF   !!!
Meu Deus, que crime o Brasil cometeu para ser castigado com este carma - PRAGA?? > Não existe doença que dure 100 anos nem corpo que a resista, mas meu Deus, ate quando  ???


 

 
Autor : jornalista CARLOS CHAGAS



 

domingo, 16 de junho de 2013

PARA CONFERIR O TEMPO...


No olhar rastros de inquietudes...
Como borboletas espantadas pelo vento,
assim é a alma de quem teme perder os sentimentos
pelas esquinas da complexidade de existir.

Os SENTIMENTOS vão escorrendo pelos dedos da vida,
que ora afrouxa o toque, ora o aperta
e assim é o vai-e-vem dos sonhos,
das fantasias,
das esperanças,
da paixão,
da alegria,
da angústia,
do choro,
 do riso...
e de tudo o mais que a vida vai fundindo ou estraçalhando,
através de palavras proferidas 
que se tornam oásis ou campos minados.
Pelos gestos que ganham a leveza de um toque
ou a distância imensurável entre corações
que teimam bater em um só ritmo.

O TEMPO passa, passa, passa...
Mas não consegue se converter em passado.
Apenas parece uma caminhada lenta,
que ao dobrar a esquina, 
estará lá a SAUDADE
para abraçar,
acarinhar
e dizer que tudo é igual,
que nada mudou
e que ela continuará em cada horizonte despontado esperando...
E nisso o AMOR aumenta...
[Ou atormenta?]



Marly Bastos

domingo, 2 de junho de 2013

Constrangedor...





O casal entra na lojinha para comprar chocolates na sexta-feira à tarde, e ele reencontra uma velha conhecida que está trabalhando na loja. Após as habituais perguntas sobre "Como-vai-todo-mundo,"  e algumas lembranças puxadas lá do fundo do baú, a tal conhecida de repente passa a fazer, em público, confissões íntimas e inconfessáveis sobre seu casamento que acabou há anos; vai das infidelidades do ex-marido à depressão que precisou enfrentar 'por culpa de ele tê-la deixado.' 

Passa brevemente pelo trecho do "Ele é mais infeliz agora, até começou a beber"," a fim de fechar seu relato com chave de ouro, ressaltando que ela era bem melhor para ele do que a atual. Enquanto isso, os outros clientes são obrigados a escutar a sua história de vida (a loja é pequena) e o casal, sem nem saber o que responder, limita-se a escutar, engolir em seco e dizer coisas como "Que pena," "Lamento muito" e  "Pois é...". 

Finalmente, o casal encontra uma brecha, uma pausa na qual eles finalmente conseguem desvencilhar-se daquela situação incômoda e constrangedora; despedem-se e saem depressa porta afora, carregando seu saquinho de trufas e 'nhá-bentas.'

Enquanto caminham pela tarde agradávelmente fria, ela pensa no quanto foi feio aquilo que ela acabara de presenciar, aquele despejo emocional em público vindo de uma pessoa que ela mal conhecia e de quem se tornara, inadvertidamente, confidente forçada.  

Algumas coisas deveriam ser comentadas apenas entre amigos mais íntimos, em lugares privados.

terça-feira, 21 de maio de 2013

✿Rei morto...rainha vivinha,rsrs....✿



Ele era chato...Chato e gordinho...

Casou, virou muito chato e gordo, muiiiiiiiiiiiiito gordo...

Não se cuidava, apenas inflava.

Procurar ajuda? Nem passava pela sua cabeça.

Se destruia sozinho.Beirava os 200 quilos...

A família, obrigada a vê-lo assim...Só comendo...

Impotente a esposa passou a oferecer lindas opções de manjares, bolos, pães, cucas, docinhos, churrascadas...

Tudo ali...O glutão não resistia...

Um dia, acabou...
Comeu, comeu de tudo...Caiu na isca...Ele enfim morreu...

Ela, livre, está feliz!

Feliz e magrinha...

A pensão deixada pelo menos era como o seu tamanho: POLPUUUUUUUUUUDA!!!

Era tempo de aproveitar e tirar o atraso!

E assim foi!


(* Inspiração maluquinha da chica,srrs...

Até eu me assusto , como estava boazinha ao "incorporar",rsr...

Comigo assim acontece...Uma palavra, uma imagem , uma cena presenciada e saio escrevendo e depois vejo no que deu!)

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Sonhar e acreditar -SEMPRE!

Não é em nosso país , mas entendi que devia publicar, embora aqui também há situações como essa.
Simplesmente porque somos todos seres humanos e nosso dever é ajudar uns aos outros. Mesmo porque somos frágeis e vulneráveis - porém vencedores, se acreditarmos nos sonhos.

É lindo e comovente!

Este é um vídeo feito pelo cantor Macaco com trabalhadores e pacientes do 8ª andar (oncologia) do hospital infantil San Juan de Dios em Barcelona para recolher fundos para a investigação do câncer.

Cada vez que abrir o vídeo, entrarão 5 centavos para a causa - participem.

Obrigada.
Lu C.






domingo, 5 de maio de 2013

CORDAS






A vida é muito generosa. Ela sempre nos dá muita corda. Podemos, com elas, construir pontes, amarrar os barcos ao cais, montar escadas que vão até o céu.

Cordas também podem ser desfiadas, e com elas, construímos belos cestos, e até mesmo redes para descansar. Já vi uma luminária feita de corda que era a coisa mais linda, lá em Natal. Pena que ficaria meio-sem jeito, trazê-la dentro do avião. Mas tenho um abajur em minha sala cuja cúpula é feita de corda trançada.

Tive belas sandálias com solas de corda, e uma vez, um chinelo, desses de andar dentro de casa, todo feito de corda. 

Minha vizinha tem uma cadeira com assento de corda, bem rústica, que é uma belezura só.

Se alguém pode falar com propriedade sobre as cordas e os cipós, este alguém é o Tarzan. Ele os usa para locomover-se com rapidez dentro da floresta, evitando, assim, os percalços do solo. Paira sobre as árvores, em seu voo alucinante, acompanhado de seu tão famoso grito: "Ôôôôô..."

As cordas são uma invenção muito útil. Pena que, um dia, foram usadas para punir seres humanos. Mas aquelas eram outras cordas, de uma época selvagem.

Mas infelizmente, algumas pessoas recebem uma grande quantidade de corda da vida, que lhes é generosa. Mas o grande problema é que não sabem o que fazer com elas. Acabam enrolando-se completamente nas suas cordas, ao invés de criar alguma coisa útil com elas. Pior: alguns acabam enrolando-a em volta do próprio pescoço, e infelizmente... matam-se com as cordas da vida.

Isso sempre acontece quando alguém tenta 'enrolar' o outro. As atitudes ficam sempre muito óbvias. Acham-se grandes vencedores, pois pensam ter derrotado os seus inimigos, sem perceberem que seus maiores inimigos são eles próprios. Mas todo mundo vê. E de nada adianta alguém tentar avisá-lo.


Assim é bem melhor!

quarta-feira, 1 de maio de 2013

LIVRO CHINÊS







QUANDO MENINO GANHEI UMA MEDALHA NA ESCOLA, COMO PRÊMIO AO ALUNO QUE MELHOR SABIA LER.

SENTI-ME FELIZ E ESTUFEI DE ORGULHO.


QUANDO A AULA TERMINOU VOLTEI PARA CASA CORRENDO, ENTREI NA COZINHA COMO UM FURACÃO.


A VELHA EMPREGADA, QUE ESTAVA CONOSCO HAVIA MUITOS ANOS, OCUPAVA-SE NO FOGÃO.


SEM NADA COMENTAR FUI DIRETO A ELA, DIZENDO-LHE:


- APOSTO QUE SEI LER MELHOR DO QUE VOCÊ, E ESTENDI-LHE O MEU LIVRO DE LEITURA.


ELA INTERROMPEU O SEU TRABALHO E TOMOU O VOLUME. E EXAMINANDO CUIDADOSAMENTE AS PÁGINAS, TERMINOU POR GAGUEJAR:


- BEM, MEU FILHO... EU... EU NÃO SEI LER. FIQUEI ATÔNITO.


SABIA QUE PAPAI ESTAVA EM SEU ESCRITCRIO NAQUELA HORA E VOEI PARA LÁ.


ELE ERGUEU A CABECA QUANDO EU ENTREI, SUANDO, COM O ROSTO EM FOGO E LHE DISSE:


- IMAGINE PAPAI, A MARIA NÃO SABE LER. E É UMA VELHA. EU, QUE AINDA SOU PEQUENO, JÁ GANHEI ATÉ MEDALHA.


OLHE SÓ! (EU ESTUFEI O PEITO PARA FRENTE PARA QUE ELE VISSE O MEU TROFÉU, E COMENTEI):


- DEVE SER HORRÍVEL NÃO SABER LER, NÃO É PAPAI?


COM TODA A TRANQUILIDADE, MEU PAI ERGUEU-SE, FOI ATÉ UMA ESTANTE E VOLTOU DE LÁ COM UM LIVRO.


– LEIA ESTE LIVRO PARA EU VER, MEU FILHO. FOI MARAVILHOSO VOCÊ TER GANHO A MEDALHA. LEIA PARA EU OUVIR.


NÃO TITUBEEI, ABRI O VOLUME E OLHEI PARA O MEU PAI CHEIO DE SURPRESA.


AS PÁGINAS CONTINHAM O QUE PARECIAM SER CENTENAS DE PEQUENOS RABISCOS.


- NÃO POSSO PAPAI. EU NÃO ENTENDO NADA DISTO QUE ESTÁ AQUI.


- É UM LIVRO ESCRITO EM CHINÊS, MEU FILHO...


IMEDIATAMENTE ME LEMBREI DO QUE FIZERA A MARIA E ME SENTI ENVERGONHADO.


PAPAI NÃO DISSE MAIS NADA E EU, PENSATIVO, DEIXEI O LIVRO EM SUA ESCRIVANINHA E SAÍ.


ATÉ AGORA, TODA VEZ QUE ME SINTO TENTADO A GABAR-ME POR QUALQUER COISA QUE TENHA FEITO,


LEMBRO-ME DO QUANTO AINDA ME FALTA APRENDER. E DIGO DE MIM PARA COMIGO:


- NÃO SE ESQUECA DE QUE VOCÊ NÃO SABE LER CHINÊS!
 
 
(Autor desconhecido)

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Caminhos

Imagem: mobisol.blogspot.com.br

Nem sempre o caminho mais curto
Será o caminho mais perto
Nem sempre o caminho mais fácil
Será o caminho mais certo
Nem sempre o mais transitável
É aquele que é mais aberto.

Dos caminhos, nem sempre
é mais bonito o mais reto
é mais rápido o direto
é mais firme o de concreto.

Dos caminhos, nem sempre
é seguro o mais trilhado
é melhor o mais cantado
é bom o sinalizado.

Nos caminhos
Pergunta a quem já foi lá
Usa tênis confortáveis
(pés nus só em areias molhadas)
(trilhas pedregosas, botas ferradas)
Descansa à sombra da árvore.

Nos caminhos, sempre
Leva um cajado na mão
Na alma, uma visão
No bornal, a refeição
Na mochila, um coração
Na mente, uma oração
Nos lábios, uma canção
Nos olhos, o horizonte
No cantil, água da fonte.

Nos caminhos
Anda em grupo, se possível
Ou aos pares (é incrível)
Mas se preciso, vai só.

E onde não houver caminhos
Abre tua própria trilha
Não construas labirintos
Segue milha após milha
Deixa teu rastro no chão
Pois outros te seguirão.

E ao alcançares a meta
Faz uma celebração
Curta, rápida, discreta
Que outros caminhos virão.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Talentos esquecidos em um país sem memória...


...Enquanto isso, ao invés de ensinar e sensibilisar a nova geração através das maravilhosas músicas de Tom Jobin e de outros muito bons, tentamos homenagear o compositor com nome de viaduto e aeroporto, ou erguendo estátuas (mudas) com a sua figura, ao mesmo tempo em que vamos fazendo a música mais medíocre do planeta (me desculpem as raríssimas exceções).
(autor desconhecido)

PS: A INTRODUÇÃO É DO CLAUS OGERMAN PARA A GRAVAÇÃO DO OSCAR PETERSON & ORQUESTRA (a letra veja mais abaixo)

 

Olhem só que vocal maravilhoso produzido na Eslovenia, da música Wave de Tom Jobin:
 
 
 

 Wave

Vou te contar
Os olhos já não podem ver
Coisas que só o coração pode entender
Fundamental é mesmo o amor
É impossível ser feliz sozinho...

O resto é mar
É tudo que não sei contar
São coisas lindas que eu tenho pra te dar
Vem de mansinho à brisa e me diz
É impossível ser feliz sozinho...

Da primeira vez era a cidade
Da segunda o cais e a eternidade...

Agora eu já sei
Da onda que se ergueu no mar
E das estrelas que esquecemos de contar
O amor se deixa surpreender
Enquanto a noite vem nos envolver...

Vou te contar...

 

 

segunda-feira, 8 de abril de 2013

♥ Doce parceria...




Era tardinha.

As cores do céu se misturavam às do mar, num lindo quadro.

Marieta novamente passeava com LUPI, seu cãozinho já bem velhinho, de quase quatorze anos.

Aquela cena se repetia todos os dias, costumeiramente, mostrando a amizade entre os dois.

Marieta enquanto passeava, fazia seu exercício enquanto colocava as idéias no lugar, relaxando ali sozinha...

E Lupi, aproveitava, no seu ritmo e passo o passeio e banho de mar.

Naquele dia porém, vieram lhe falar que ela não mais poderia trazer o cãozinho à beira do mar. Explicaram todos os motivos .Ela entendeu e não mais o levou.

Porém, daquele dia em diante, vendo-o abanando o rabinho perto dela justamente no horário em que costumavam passear, sentia pena.

Pena da falta de liberdade, pena que tantas vezes a vida parece se complicar, perder sua simplicidade.

Lupi agora já no fim de sua vidinha, teria que se acostumar à nova rotina.

Teria tempo? Pensava ela, enquanto lembrava que ele cada vez mais ,estava velhinho... Uma lágrima rolou só de pensar!

Porém agora, mesmo sem ir ao mar, passeava com ele sempre ao seu lado. E ele sentia que era amado e isso fazia bem aos dois .

Eram e continuariam a ser amigos...Tomara por muito tempo ainda!

terça-feira, 2 de abril de 2013

La Boda (Fotógrafa)

Amigos queridos deste blog maravilhoso. Estamos um pouco desanimados e adormecidos por aqui, uma falta que até eu participei. Abandonado desde o dia 11/03. E por este motivo quero compartilhar algo engraçado, alegre, feliz. Para darmos boas risadinanhas.
 
Este vídeo já se torna antigo. Mas vira e mexe eu recebo um  email dele, e toda vez que assisto eu rio muito.
 
Ele realmente é contagiante. Quem não assistiu, não perca!
E quem já, assista mais uma vez, ou quantas desejar.
 
Só quis distribuir sorrisos pelo nosso QUIOSQUE!
 
 
 
 
 
BJS A TODOS QUE POR AQUI PASSAREM.
 
PATTY.