No Balcão do Quiosque

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Oito filhos - um falecido!



Um enredo, uma odisséia, um folguedo ou apenas uma mania?

Sinceramente não sei mais o que fazer com essa mania de criar blogs. Tenho sete blogs e um falecido (que loucura)... E perguntem se dou conta – claro que não né?
Olha só, tudo começou com o filho mais velho – ESCRITOS NA MEMÓRIA. Que atualmente fechei pra balanço. Mas, balanço de quê vocês devem perguntar... rsrsrs .Acho que um balanço das idéias , das blogadas e imagens. Repensar layout e outros bichos.

Em seguida, engravidei do RETRATOS EM DEGRADÊ, que frutificou a partir do título de um de meus poemas. Curioso isso né? Meu segundo filho, o blog da vez. Ele é bem freqüentado, hospeda muitos leitores , amigos, simpatizantes e alguns dissidentes (que eu sei!) rssssssss, mas mesmo assim, a paisagem do meu retrato continua firme e forte. ROSA CHOQUE – NÃO PROVOQUE!

Depois eu inventei um blog de estética que eu nem lembro o nome porque logo acabei com ele. Mas a idéia continuou fluindo nessa louca e desvairada cabecinha blogueira. Atualmente, esse filhote saiu da casca e desfila em figurino azul claro e flores no olhar. Seu nome é sensibilidade: PELE E FLOR.

Mas vejam só, após o rosa choque que é degradê eu dei a luz ao terceiro filho, o LA FEMME, um blog ousado na cor despojada do azul no preto. Lindíssimo e escultural. Lotei o blog de imagens azuis e tal. A idéia desse blog era escrever a releitura da obra de Roberto Drummond, um escritor renomado desde os anos 70 e que ganhou o Prêmio Jabuti de Literatura pela obra que eu estava disposta a reescrever sob minha ótica. Comecei então (toda animada) a escrever a série: UM SONHO EM PARIS - que alguns amigos já leram e acompanharam. Mas que decepção! O LA FEMME não deslanchou coitadinho e morreu na maternidade, posto que ainda era um recém-nascido. Com muito pesar eu enterrei toda aquela beleza azul e preta. ( O Falecido).

E lá ficava eu atormentada com uma somatória de idéias pra lá e pra cá, até que resolvi abrir o Lu na Cozinha – meu blog culinário, o filho número quatro(que está vivo mas encarcerado). Uma verdadeira loucura ele, sabem? Travesso e endiabrado, dando um trabalho danado pra atualizar. Mas como eu tinha muita paciência com ele, ficou algum tempo no ar e cresceu, fez amigos contava muitas histórias de guloseimas, dicas pra festas e reuniões informais. Arranjo de mesa. Danadinho ele! Até comidinhas pra chá de bebê ele inventou. Mas aos poucos a geladeira foi ficando vazia, a despensa triste olhava o pouco mantimento já quase com data de validade vencida. A conta de gás atrasada, e já com a mesa toda desarrumada e a toalha cheia de migalhas... A Lu fechou a cozinha.
BUaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!


Mas não pensem que a produção parou por aí. Outra gestação, filho de número 5.
Voltando eu de uma viagem do litoral norte de São Paulo, olhando a paisagem ainda beira-mar, li uma tabuleta que dizia: QUIOSQUE DO PASTEL. Pronto, na mesma hora veio a idéia: AHHHH VOU CRIAR UM BLOG COM ESSE NOME.

Revirando os olhos eu me perguntava: “mas o que vou fazer neste blog? Não tive resposta imediata não, foi como fazer uma peça de cerâmica. Onde se senta com a coluna encaixada, estufando o peito, afastando os joelhos e a argila deslizando entre os dedos e fui assim. Comecei a moldar uma idéia: a de tornar um blog comunitário.E veio vindo aquele mundaréu de idéias e pessoas. E fui botando tudo logo no papel para não perder uma só letrinha.
Gestação feliz, parto um pouco difícil, mas com ilustres visitas e uma turma de arromba.

Nasceu então meu rebento com idéias avançadas por ser ainda tão jovem. Ele queria muita gente à sua volta, pois ali seria aberta uma casa de crônicas com pastel e o que mais viesse. E assim foi. Meu Quiosque enviou convites para um grupo alegre, inteligente, criativo e acima de tudo companheiro.
Hoje, meu grupo de quiosqueiros manda ver e arrebenta na escrita.

E assim tudo ia caminhando bem até que meu fascínio libertou outro rebento: o L’AMOUR, um filhote afrancesado chique e cheio de plumas e paetês. Glamoroso que só. Por ser quase o caçula anda meio mimado e só quer colo. Fica dormindo a maior parte do tempo. Mas deixa, que logo mais (tomara), ele acorde e comece a andar e produzir noites francesas, visitas a museus e lojas e um pouco da história de Paris.

Mas a doidivanas que vos fala pariu mais um filho, o caçula: seu nome? EMPÓRIO DO CAFÉ LITERÁRIO. Por ser o caçula deveria estar nas fraldas e mamadeira em punho. Mas não! Ele já caminha com as próprias pernas, é falante, ousado, criativo e muito comunicativo. Posto que já fez mais de 30 amigos. Até madrinha ele tem. Aliás, ele e eu devemos muito a esta madrinha que é fada madrinha; porque dias depois de seu nascimento eu ( a mãe desnaturada), abdiquei do rebento e o coloquei fora de casa, deletando-o de minha vida. Mas como a vida acha um meio quando quer sobreviver, ele foi resgatado pela madrinha Rosemari e agora é esse jovem feliz que prima pela cultura.

Dedico esse texto a meus amigos blogueiros. Texto esse que é fragmento de uma história que deve (ainda) preencher muitas páginas.

By Lu Cavichioli

12 comentários:

Paula Raposo disse...

Temos imenso em comum!! Beijinhos.

Rosemari disse...

Lú minha amiga doidivana com mania de criar blogs.A criação de blogs amiga é a sua busca constante pela sintonia de seu eu com a literatura. EStão sintonizadíssimos a muito tempo , mas existe um vazio aí e que não sei se os blogs irão prencher.Um dia você ainda vai parir o site que tanto sonhas e ai você vai ver deixará de criar os blogs para se dedicar inteiramente a ele.Nós sabemos quem é esse filho e tenho certeza que ele virá no momento certo.beijos , te amo , sua parideira de blogs.

Graça disse...

Lu,
eu acredito muito em transmissão de pensamento, almas gêmeas, tudo isso.
Pois bem: estava justamente pensando num jeito de te perguntar COMO É QUE VOCÊ FAZ PARA GERENCIAR,DAR CONTA DE TRÊS BLOGS! e você, sem saber agora me respondeu, e ainda de lambuja me diz que tem (teve) OITO e ainda quer parir outro site?!!!
Pára o mundo que eu quero descer!!!(rsrs)
Se já estou zonzinha da silva com esses três lindos que já conheço, e já fiz até papelão postando poema no blog de crônicas, onde é que eu vou parar???(rsrs)
Falando sério, concordo com a Rose; se vc tem um sonho de criar um em especial, tem mesmo é que ir em frente, e aos poucos delegar (como fez com o Quiosque) a outras pessoas a gerência, a tutela dos seus outros e, assim, eles acabarão por ter, NÃO UMA mas várias mães...
Por falar em mãe, filho, eu te peço desculpa (não há como colocar aqui aquele emoticon rosadinho de vergonha?rs) pela troca de papeis. Prometo que vou deixar de engatinhar e começar a andar!
E na minha opinião, Lu, você criou todos esses blogs pelos quatro fatos com que iniciou a sua crônica. Tudo junto, e isso é bom.
Bjs.

Chica disse...

Legal isso.Lu! Eu entendo bem isso. Estou no meu 10º e acabei de criar o mais novo, agora na segunda feira.Passa lá pra ver,srsr...E pior, dou conta de todos e me divirto muito!Isso é loucura mesmo! beijos e que bom que apareceu até madrinha pro teu né? E ele tá legal!Parabéns,beijos,chica

Lu Cavichioli disse...

Olá Paula, vejo que não sou a única na blogosfera que dá crias! rsrsrs
bjs querida.

Lu Cavichioli disse...

Rose, voce sabe de mim!
Com certeza tudo acontecerá quando for a hora.

grande beijo

Lu Cavichioli disse...

Pois é Graça, eu sou uma viajante no tempo (isto é um (auto-apelido), por isso talvez que essas criações apareçam e eu não consiga usar o pedal do meio e refrear. rsrs..
Mas eu chego lá e um dia todos serão um!

Quanto a postar um poeema na casa da crônica foi realmente inusitado, mas está perfeitamente perdoada (rsrsrs imagine... ), como eu disse, foi um dia especial, em que o Quiosque abre as portas para a primavera. Veio bem a contento, querida!

*interessante o último parágrafo de seu comentário a respeito das quatro alusões logo no início da crônica:

ENREDO, ODISSÉIA, FOLGUEDO E MANIA.
Olha que isso dá outra crônica ou qualquer outra coisa.
Pense nisso.

Beijos minha querida e boa noite!

Lu Cavichioli disse...

Chica , voce é mais viajante do que eu... rsrsrs... já está no décimo? Vou lá ver.

meu beijo, cara mia!

neo-orkuteiro disse...

Me empresta aí seu "Ai meus sais!", Lu.
Com a morte do Veleidades no GO, que em pouco menos de um ano teve duas vezes mais visitas que todos outros até agora, estou tratando de apenas quatro filhotes muito queridos (o Bonde Andando, o Lexicografia, o Me and my English e o En Français aussi, pourquoi pas?) por meio dos quais dialogo na blogosfera sobre variados temas e recebo calor humano virtual em quantidade suficiente pra não querer por nada nesse mundo desistir nunca de blogar, apesar de tantos pezares privados, como por exemplo o ritmo quase suicida de trabalho em que me enfiei, por exemplo.
Que seus projetos todos decolem, é pelo que eu torço.

Lu Cavichioli disse...

rsrsrsrs......Querido João, pode levar um pouco dos sais pra se refazer da leitura.

Eu conheço seus filhotes, visito na medida do possível. Adoro seu filho frances e de vez em quando entro no Bonde e vou andando contigo.

Sei que andas atolado no trabalho, mas sei tb que quando dá uma folguinha vc aparece prum café e um bom papo, como lhe é peculiar.

ultrabeijos pra ti meu querido!

simplesmente curando disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
simplesmente curando disse...

Adorei o blog, com certeza vou viistar os outros .
É viciante expressar,comunicar e compartilhar coisas boas...
um abraço.