No Balcão do Quiosque

segunda-feira, 21 de março de 2011

Domingo Cinzento



Me dói cabeça, ombro joelho e pé, tal qual a música da Xuxa quando cantava só para baixinhos. É assim que acordo após um sábado que nem foi lá o mais belo dos poemas. Se é para ser comparado a algum tipo de texto, esteve bem mais para bula de remédio, carta de cobrança, coisas animadinhas assim.

De cara pouco sorridente, acompanho as notícias do domingo na TV, casal Obama feliz da vida lá na Cidade de Deus. Ainda bem que a comunidade foi pacificada, não ofereceu perigo algum ao Primeiro Homem. Me ocorreu uma ideia um tanto sinistra: não seria bacana a gravação de um episódio da série 24 Horas – do imortal Jack Bauer – numa dessas comunidades, tendo o Obama sequestrado pelos traficantes? E o Jack feito louco tentando descobrir onde o homem estaria malocado. Genial, não é não? O único problema seria a história se tornar real e o Brasil se lascar de vez colocando em perigo a vida do cara que manda prender e manda soltar mundo afora.

A Senhora Obama e as gurias pareciam estar se divertindo por demais também, embora ela tenha se assustado um tanto por não compreender os movimentos da capoeira e supor que o moleque ia se espatifar no chão.

Lembrei de uma matéria que vi ontem, sobre um encontro de Michelle Obama com estudantes num restaurante em Brasília, aonde a mesma foi ovacionada porque proferiu “bom dia”. As pessoinhas enlouqueceram com um simples gesto de educação. Cá com meus botões impacientes me perguntei se fosse a Dilma, presidente, lá na Casabranca dizendo “good morning, people” se haveria esse alvoroço todo. Mania estranha essa do povo latino em se considerar na obrigação de paparicar, lamber sapato apenas porque acha mais importante que o seu. No meu conceito é o complexo de inferioridade impregnado, impossível de ser exterminado mesmo com todo o sabão em pó existente no mundo.

O fato é que o casal Obama foi realmente simpático e não parecia estar ali de má vontade, como é notório em algumas personalidades quando obrigados a comparecerem a eventos do gênero. É também fato que a simpatia deles em nada refletirá nas pretensões políticas do Brasil no cenário mundial. A Presidente falou toda prosa sobre o desejo de estarmos no Conselho de Segurança da ONU e o Mister Obama sorriu e acenou, num sussurrante "I don't undertand". Será que ele acertou mais alguns contratos acerca da ocupação da Amazônia? Uma pesquisinha ali, uma planta patenteada acolá, e foi-se, o homem leva a floresta inteira a qualquer momento.

Ah, mas porque falei desse assunto, não sei. Nem de política eu gosto, desde que me roubaram a ideologia... O que me interessa a visita desse simpático Primeiro Homem?


Deixei-o discursando e fui ver –  na TV - o jogo do Botafogo, que me envergonhou profundamente. Perdeu de forma pouco honrosa, só pra coroar o meu dia sabor jiló.

Vejo ir embora esse domingo cinzento, castigando o pobre Zeca Baleiro que canta incansável pra mim há horas. Tenho medo dele ir embora e a Xuxa vir me fazer dançar a coreografia do Cabeça, Ombro, Joelho e Pé...

Socorro!


Por Milene Lima



10 comentários:

Déya disse...

kkkkk Você é simplesmente
D-E-M-A-I-S
Não conssigo imaginar um texto teu agua com açúcar!

É sempre uma surpresa boa de se ler..
Até pra reclamar de dores vc reclama
com excelência...
Melhoras ai, mas sem coreografia da xuxa.. kkkk

Adoro..

beijo querida minha.

MOISÉS POETA disse...

Acho que gosto do Obama...gosto? sei lá...!

Mas reconheço que ele tem estilo.
dançarino contumaz, tem fôlego para dar e vender.

Vou torcer para que nenhum brasileiro atire sapatos nele. mas se tiver algum libanês por aqui...

Adorei seu texto, Milene !
muito bem escrito !

Um beijo pra voce , e outro pra Lu !

Lu Cavichioli disse...

kkkkkkkkkkk, ai Mi, vc é uma figuraça, minha amiga!
O texto está pra lá de interessante, porque tem bom humor com pitadas picantes e leva a gente a querer ler até o final.

Política é algo de que prefiro nem chegar perto, mas "escrivinhada" dessa forma tão descompromissada e hilária, dá aquela sensação de querer mais. rs

Crônica inteligente, em linguagem popular e muito divertida.

Parabéns amiga!

Ah e o a nova cara do Quiosque tem dedinhos dela, gostaram?

bacio caríssima!

Valeu poeta, outro pra ti querido!

Leonel disse...

Realmente, Milene, um excesso de paparicos,vindos principalmente da parcela mais simples do povo, para quem tudo é festa...além dos "papagaios de pirata" de sempre!
Mas, se isto serve de consolo, em contrapartida o governo brasileiro anterior (da mesma linha que o atual)também paparicou gente nada simpática, como Fidel Castro, se ajoelhou e engoliu humilhações diante de Hugo Chavez e Evo Moralles, invejou o tirano Mugabe e acreditou "ingenuamente" em Ahmedinejad...
Assim, o que não falta são exemplos de servilismo.
Mas, parece que o que incomoda mais é em relação ao gigante do norte...
De tudo isto, ficou de positivo a atitude firme e objetiva da Dilma (de quem eu não gosto), que sem se sensibilizar com o clima da festa, mas sem hostilidade, colocou com objetividade os reais interesses do nosso país!
Abraços!

R. R. Barcellos disse...

- São inescrutáveis os desígnios do Destino. Creio que o mesmo Homem que disse a um outro "Levanta-te e anda", ordenou-te: "Toma da pena e escreve!"
- E tu, em vez de lamentares a insólita escolha de prioridades, simplesmente tomaste da pena e escreveste, e escreveste... cada vez melhor, cada vez mais próxima à perfeição.
- Eu acredito em milagres. Estou testemunhando um deles. Teu texto, Milene, está irretocável. Obrigado, é a palavra. Beijos.

Marcos Santos disse...

Muito bom Milene,
Mas como gosto muito de jiló, principalmente grelhado com sal até ficar bem tostadinho (com uma cervejinha bem gelada é uma delícia), troco essa amargura alvinegra por chicória. Até porque eu assisti ao vexame do meu Fogão exatamente sorvendo a loirinha gelada, regada com o jiló torradinho.
Quanto a essa nossa mania de sola de sapato, vi a euforia do nosso governador Sérgio Cabral, que na seca de um saco para puxar, já que a Dilma não o tem, tirou o atraso com o Obama.
Segundo minha esposa, se a mulher dele não se envergonha dele ser um pucha-sacos, não sou eu quem deve ficar.

De tudo um pouco disse...

Memem


muito bom

Yes We Can

POdemos copiar o modelito de miss Michele indo embora e usar como saida de praia??

foi a única coisa que vi no meu fim de semana..

ah e o jogo do Timao também...porque você nao aproveita e troca de time?? bora lá??

beijocs

Loisane

Mafia Sonora disse...

Realmente né, vi na televisão ela falar bom dia e a galera bater palma até dizer chega, a gente é legal demais, até quando eles vem nos sacanear a gente trata eles bem, impressionante.

Léo Santos disse...

Muito bom! É um texto de revista esse teu. Estás atingindo a perfeição, guria. Cada vez mais gosto de te ler. E esse papo de achar fantástico um gringo falando qualquer besteira em português é uma vergonha, né?

Um abraço

João Esteves disse...

Milene, muito bem! Todas as suas considerações estão impagáveis.
De passagem, descobri mais dois 'colegas' alvinegros na blogosfera: você e o Marcos.
Nem vi foi jogo nenhum, mas hipoteco minha solidariedade.