No Balcão do Quiosque

quinta-feira, 3 de março de 2011

Dos Sofismas e comportamentos Neuropsicóticos



Eu perguntei uma vez: "estamos no caminho certo"?
Olhei dos lados, conglomerados de intrínsecas defesas pendiam sobre a mesa. Carrancuda expressão!
Eu logo quis sair correndo... Pra onde? Só havia grades!

As marcas de sangue em meu braço demonstravam que tinha ficado dias na solitária tentando espernear ou morrer, quem sabe?
Todos os raciocínios davam encontrões nas artimanhas feitas de tijolos... “macios” aqueles tijolos.

Eu gargalhava. De súbito punha-me de cócoras aninhando-me da escuridão dos anos.

Casa dos horrores malditos! Apenas um som gutural sem muito volume em patéticas palavras entravam de fininho pela fechadura. Eu apenas soluçava.

Já nos últimos dias um cadeado subjugava minhas palavras , enquanto membros e sentimentos embotados numa argamassa involuntária de sôfregos suspiros, jaziam num metabólico estupor glacial.

Fatias de neurônios boiavam num coquetel psicotrópico na visão esquálida e suprema da revolta incontida. Eu tecia devagarinho minha viagem intra/utópico/uterina, na louca tentativa de expiar meus pecados tornando-me um ser neo-celular.

Possível passagem/trecho de um esquizofrênico.

6 comentários:

Xipan Zéca disse...

Lu...

Me identifiquei "pácas" com esse texto....
Naum tava queimando uns matinhos do nenônho não viu!! rsrs

Deussssssssskiajude
Beijo esquizofronótico do Tatto

Dulce disse...

Terrivelmente angustiante. Um arrepio percorrendo o corpo a cada palavra, a cada frase... Mergulhar nessa mente esquisofrênica foi dilacerante e sai-se desse mergulho agradecendo a Deus e a vida pela sanidade que soa como uma dádiva.

Beijos, Lu, e um bom dia para você.

Leonel disse...

Texto de arrepiar!
Como alguns filmes que eu assisti, reconheço que é muito bom, mas não quero ver de novo!
O que prova que a autora atingiu o objetivo; mexer com os sentimentos e emoções de quem lê!
Parabéns, Lou!

Bruno JP Teixeira disse...

SINISTRO SINISTROSO DA SINISTRALIDADE OCULTA DOS INFERNOS... HEHEHEHE

Abrçs.
Bruno JP Teixeira - O Portuga
http://brunojpteixeira.blogspot.com/

Lu Cavichioli disse...

Pois é meus amigos, essa doença mental é da família das psicoses, terrível de doer a quem observa um ser humano assim. Difícil de tratar, mas felizmente, nos dias atuais há muitos recursos para manter a paz e a harmonia dessas pessoas.

Sabe-se que antigamente os tratamentos eram cruéis e totalmente inúteis, porque destruiam os neurônios ao invés de preservá-los.

A terapia do choque, por exemplo, associada aos psicotrópicos, deixavam os pacientes bem piores do que já estavam.

A lobotomia tb era utilizada em alguns casos e que refere-se a cortar as ligações de qualquer lobo cerebral) é uma intervenção cirúrgica no cérebro, onde são seccionadas as vias que ligam os lobos frontais ao tálamo e outras vias frontais associadas. Foi utilizada no passado em casos graves de esquizofrenia. A lobotomia foi a técnica pioneira e com maior sucesso da psicocirurgia.

Bjs e obrigada pela leitura.

João Esteves disse...

Valeu pra mim ter vindo ver o Quiosque. No texto, vejo antes de mais nada uma construção bastante habilidosa, fato que em si confere prazer à leitura.