No Balcão do Quiosque

sábado, 23 de abril de 2011

O BANHEIRO VENERÁVEL



Final de sexta-feira santa se aproximando, todos ressacados de vinho e comilança típica, hora de se dar o merecido descanso, mas não sem antes atentar para o noticiário televisivo e internético, para se atualizar em relação ao assunto do momento.

Seria esse assunto algo referente ao horror de Realengo? Não, prezado leitor, isso é passado, a morte das crianças já não faz mais parte das manchetes, a comoção cessou. Seria algo pertinente aos destinos do país, do âmbito econômico ou político, capaz de ferver os noticiários e nos brindar com um auspicioso aceno? Enganou-se mais uma vez, caro amigo. Fala-se agora do o casamento do Príncipe William com a plebéia Kate, não há outro assunto em canto algum desse planeta.

O que faço eu com minha absoluta falta de intimidade para com temas reais? Estou numa cilada social, não terei assunto pra esses dias porque sobre realeza eu entendo bolhufas. Preciso de alguém culto, inteirado dessas questões de fundamental importância para o desenvolvimento da humanidade, a fim de me explicar porque cargas d’água, em pleno século XXI ainda se bajula tanto eventos assim. Quão insensível sou a ponto de não compreender que se trata do casamento do herdeiro do trono real inglês, oras, não é qualquer mortal. Não é? Mas como assim? Ele até lava banheiro, como sou desalmada em não me comover com tamanho feito!

A expectativa é da chegada de meio milhão de turistas em Londres, o que ocasionará um movimento financeiro de R$ 1.500.000,00, entre outras coisas com a venda de brindes como canecas, pratos, qualquer troço com a imagem dos nobres pombinhos. As ruas de capital inglesa estarão tomadas pela multidão enlouquecida, portando bandeirolas nas mãos e emoções descabidas em virtude de tão especial situação. Escrevo isso enquanto meu estômago revira e não é apenas em consequência da comilança à base de coco, é muito mais por me admirar do quanto o ser humano se orgulha de sua absoluta futilidade. É bem possível que em uma semana, tempo restante para acontecer o grande feito, se publique até a cor da calcinha a ser usada pela princesa quando de suas núpcias. Já é sabido, por exemplo, que o banheiro da suíte opulenta a ser ocupada por Kate na noite anterior ao casório terá uma privada “venerável” (oi?) feita no século XIX e uma TV à prova dágua. Ah, mas isso é deveras importante, todos devem saber da condição descontraída da realeza enquanto faz cocô na privada original... Veneravelmente original. E compartilhe comigo dessa informação imprescindível, caro amigo, não há Viagra na cerveja do moço real, mas um tal extrato herbácio. Agora sim, posso ir para o meu humilde leito plebeu, tranquila por saber que os problemas da humanidade estão consideravelmente diminuídos porque a futura princesa faz cocô e o príncipe não toma cerveja com Viagra... Ainda.

O mundo enlouqueceu de vez, Pai do Céu!

Melhor mesmo eu guardar a minha total falta de paciência para assuntos inúteis e ir pros braços de Morfeu... Moço compreensivo e acolhedor.

Boa e nobre semana a todos.


(Milene Lima
agreste das Alagoas.)


8 comentários:

MOISÉS POETA disse...

Bom te ver assim: indignada com as mentiras do mundo.

embora saiba que seu grito ganhará morada subterranêa (somos poucos)

a midia nos quer obedientes , e bate com sua varinha para nos por no compasso. mas não consegue com aqueles que tem olhos de astronauta , e o coração aos pinotes.

excelente texto , querida Milene !

um beijo pra voce e para Lu Cavichioli !

Xipan Zéca disse...

Interessante.... Lendo o texto, desde o início desconfiei que era teu... E nenhuma surpresa então ao finaliza-lo... Era tu MeRmo.... hehehehe

MilenA... Discordo de que seu grito ganhe morada sub-cutânea ( São poucos mas regem as opiniões mais concretas da blogsfera...)Pode até não sem admitido, mas ouvido, ahhh esse grito é sim... serto maninha... yéhhh!!

Como sempre:- "for the people bread and circuses"

Deusssssssssssssskiajude
Nóis guentá essa Mer*** toda

Tatto

R. R. Barcellos disse...

- É o BBB deles lá... o Big Brother British!
- PS: o cocô da princesa é cor de ouro velho e não fede nem cheira. Tenho uma amostra fossilizada dele, colhida quando ela fez intercâmbio cultural no Instituto Vital Brasil.
- PPS: Fluzão prossegue na Libertadores.
- PPPS: a frota de Cabral tinha 10 canoas furadas e 3 sapatos do Sarney, num total de 13 embarcações. Pinta, Nina e Santa Maria eram do Colombo. Mas até o Jair se enrolou nessa...

De tudo um pouco disse...

Milene

tentando ver ontem na tv alguma inutilidade útil, me deparei com as chamadas do globo repórter de meia em meia hora sobre o acontecimento do século, e me perguntei?
Como seria minha vida se eu nao soubesse de todos aqueles detalhes e frufrus???

Beijocas

Loisane

Marcos Santos disse...

Boa Milene.
Eu não tenho paciência e nem muito o que ver na tv. Meu Botafogo está fora do Carioca e da Copa do Brasil. Me resta pegar meus discos de vinil empoeirados e baixar música por música na internet. Essa é uma ótima programação. Além de poder ouvir novamente as músicas boas dos anos 70,80 e 90, ninguém poderá te reclamar direitos autorais, pois já foram pagos no teu "bolachão preto". O Beatles que me perdoem, mas não vou pagar novamente por uma coleção que foi tão cara para um garoto de 13 anos. Baixei tudo.

Lu Cavichioli disse...

Palavrório da melhor qualidade!

Logo nas primeiras frases eu já identificava o autor do texto... Dona Milene Lima - BRAVO!

O tema abordado, além de atual, confirma todas a futilezas que o ser humano veste nestes tempos pós-modernos.

Como eu disse abaixo: "tá todo mndo lôco oba"... entra um pouco nessa parafernália tipo FEBEAPA em que o mundo se encontra.

Gostei do cocô real kkkkkkkk

Aplausos querida, carimbado está teu passaporte de crônista(faz tempo), em tempo!

bjs da amiga e fã

outro beijo caro Moises, menino poeta, sempre gentil!

23 de abril de 2011 17:55

Leonel disse...

"...do quanto o ser humano se orgulha de sua absoluta futilidade."
E assim Milene, a Myke Tyson das letras, nocauteia no primeiro assalto!
Quando cheguei neste ponto, percebi logo quem havia escrito o texto!
Realmente, é incrível como se perde tempo e se enche a mídia com tanta futilidade!
Lendo o comentário do Marco Santos, concordo inteiramente com sua posição em relação aos direitos autoriais: se eu gastei uma boa grana comprando bolachões (LPs), acho que já paguei todos os direitos dos artistas e não devo nada se baixar o mesmo que já possuía, agora em MP3!
Aliás, no caso dos Beatles, foi o que eu já fiz!
Mas, voltando ao assunto do momento, seria interessante sabermos quantas folhas de papel (e de que marca) sua alteza usa para limpar o real fiofó!
Quem souber, me informe!
Abraços, minha "ídola"!

Mafia Sonora disse...

Minha comoção é tanta que um dia espero que todas as monarquias do mundo acabem.