No Balcão do Quiosque

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Meu comentário sobre a questão Vida após a morte que foi colocada por minha amiga Ana Guimarães.

"um conto de fadas para quem tem medo do escuro"
Stephen Hawking


Um paralelo interessante sobre essa questão encontramos na mitologia como apoio para reflexão sobre a lógica. Como aquela que afirmando que 4 elefantes sustentam o universo, alguém questionou: "mas, onde se encontram os elefantes?" O sustentáculo da racionalidade do homem contemporâneo é cartesiana mas, a passos largos, vem sendo trincada nos seus sedimentos postulados. O que se vê hoje _ e isso de certa forma velado_ é o embate entre evolucionistas e criacionistas. Os primeiros, calcados no Darwinismo, afirmam por A+ B, que a vida surgiu como que randômicamente.

Algo como uma descarga elétrica como fator ígneo, eletrificou um caldo de proteínas as quais foram se agregando e como um "Lego" aleatório, montaram toda essa complexa máquina que é a vida nas suas variadas manifestações.

Principalmente a manifestação do ser humano que hoje dotado de um intrincado sistema bio-psíquico, escarafuça como um aprendiz de feiticeiro, os meandros da energia nuclear sem saber o que fazer quando se vê diante de uma sequência de portas que se abrem a cada descoberta da física avançada, de que o átomo não possui apenas um núcleo mas sim desafiam os limites impostos pelos conceitos dialéticos de pequeno e grande. Já os criacionistas se referem a essa afirmação dos evolucionistas, como a teoria do relojoeiro maluco onde um relojoeiro jogaria aleatoriamente para o alto as inúmeras peças e ao cairem se juntam inteligentemente nos seus respectivos encaixes.

Os criacionistas afirmam que não é possível que não exista uma inteligência por detrás da criação; afirmação essa que traça perspectivas mais férteis para o entendimento da Vida como um continuum onde consciência corrobora realidades. Infelizmente em termos acadêmicos, a supremacia do sistema evolucionista, como uma "caça às bruxas" vem eliminando sistematicamente das bases do conhecimento humano, essa vertente que oxigena valorosas percepções da realidade. Tanto que eminentes catedráticos nas mais proeminentes universidades como Oxford, Yale, Princeton, Harvard, Stanford, etc, vem tendo suas vidas acadêmicas destruídas por essa perseguição que mais lembra um estigma que a humanidade cultiva: a Inquisição do pensamento livre, diferente, que tem como um termo raiz a palavra herege que significa originariamente alguém que ousou ultrapassar um status quo moribundo e decadente.

8 comentários:

007BONDeblog disse...

Boa tarde

Eis um tema que me desperta interesse. Eu tenho cá minhas convicções, e, considero o mais importante que o assunto seja debatido, conversado, pensado de forma livre e democrática.

Entendo que só evolui, aquilo que já existe, ou seja, essa "faísca", 'poeira' ou seja o que os cientistas dizem que deu origem ao Universo, apareceu de onde ? Evoluiu do que ? Do nada ?

Imagino que, sem ter a pretensão de definir o que seja DEUS, "ele" está por trás disso.

E quanto a vida depois da morte, quem viver verá.

Um fraterno abraço

Ma Ferreira disse...

Bem profundo este tema. Profundo e polemico.
Mas eu tenho a minha fé, e ela esta bem longe dos argumentos postado no texto.
Bom pra refletir né?
Bjkas
Ma

blog da Paraguassu disse...

Olá amigos,
Bem profundo este tema, não? Nosso pensamento, embuido em buscar respostas para tudo isso, às vezes, embaralha-se e aí,
haja conhecimentos e cultura para "tentar" esclarecer o enigma. Mas, como disse a Ma Ferreira, eu também tenho a minha fé e acho que Deus está por detrás disso tudo.
Convido-os a me visitarem em meu blog e, se gostarem, sigam-me e deixem um comentário sobre minhas postagens, ok?
Um grande abraço a todos,
Maria Paraguassu.

R. R. Barcellos disse...

- "Depois" pressupõe uma dependência física da dimensão TEMPO. Acima dessa dimensão há outras - até os mais empedernidos cientistas ateus ou agnósticos sabem disso. O que ninguém sabe é o que escondem essas dimensões transcendentais.
- Abraços.

Leonel disse...

Creio que nem criacionistas nem evolucionistas são donos da verdade.
Simplesmente acho que somos pequenos demais para questionar coisas desta ordem de grandeza.
Como eu já disse uma vez, somos como bactérias numa lâmina de microscópio tentado discutir a natureza de quem inventou o microscópio e pode estar nos observando por ele!
Mas, é um tema estonteante.
Quem morrer verá...ou não!
Abraços!

R. R. Barcellos disse...

- Caro Leandro, voltei para desfazer o que parece ter sido um mal-entendido. Você - certamente sem querer - publicou essa bela matéria logo a seguir a uma publicação recém-colocada por outro colaborador. Essa pessoa houve por bem remover sua postagem.
- Pretendo sugerir à Lu que ponha no cabeçalho do Quiosque um pedido para que os colaboradores observem um intervalo mínimo (talvez 3 dias) entre postagens consecutivas, tomando por base a data que aparece sobre o título. Gostaria de saber sua opinião e a dos demais. Abraços.

Marcos Santos disse...

É verdade Barcelos. O post foi "Deseducando", sobre a professora Amanda Gurgel. Vou fazer uma observação em algum ponto do blog.

Lu Cavichioli disse...

Obrigada Marcos em colocar um PRESTA ATENÇÃO ao lado no blog, esclarecendo algumas coisinhas.

Muito pertinente sua colocação, meu amigo Rodolfo. Obrigada.

Na verdade, as postagens nunca foram controladas e os colaboradores nunca atropelaram as mesmas. O que houve, a meu ver, foi DESATENÇÃO.
***********************************

AVISO AOS NAVEGANTES DO QUIOSQUE:

RESPEITEM A POSTAGEM DO COLEGA. CONFIRAM A DATA DA POSTAGEM PARA NÃO HAVER DESENTENDIMENTO.

NÃO COMETAM A DESELEGÂNCIA DE ATROPELAREM POSTAGENS - POR GENTILEZA.


OBRIGADA
LU C.