No Balcão do Quiosque

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Café, telefone e etc (o dia a dia no Quiosque)



Ô de casaaaa! Tem alguém aí?
Tem sim, espera que to indo abrir a porta. Olá, bom dia, meu nome é Chica ...O que deseja?
__ Ah, eu sou Valentina, lá da Editora La Femme. É que a Lu Cavichioli me ligou e pediu que eu viesse até o Quiosque procurar pela Rejane. Você conhece?
Ouve-se uma gostosa gargalhada.
__Rejane? Ah, pois não, ta falando com ela.
Ah, hã... é... ahh.. Bom dia!
_ Mas que modos os meus, nem te convidei a entrar. Venha, acabei de passar um café e tem biscoito de mel que o Luiz Ramos trouxe hoje bem cedinho. Mas você dizia sobre uma tal editora?!
__ Sim, EDITORA LA FEMME... Com licença.
--Claro, fique a vontade.
Logo se ouve passos apressados. Alguém descendo as escadas. É o João neo-quiosqueiro Alves. Passa pela copa rouba um café, dá um bom dia cordial sem estender a mão porque no braço esquerdo carrega uma pilha de livros e na outra leva a xícara com café.
_João? Pergunta Chica- você viu a Lu por aí?
-Pior que não, eu precisava falar com ela. Avisar que a sala dos morangos está mal assombrada. Acho que a Madalena esqueceu algum tipo de magia por lá.
Valentina olhava tudo aquilo com os olhos arregalados.
Dizendo isso, João saiu prometendo voltar no fim da tarde.
Quando Chica retomava sua prosa com a moça toca o telefone:
_Alou... ahhhh ligação internacional. Tapou o bocal do aparelho dizendo: desculpa Valentina, só um instante.
Valentina era jovem, cabelos louros e ondulados que lhe caíam como rendas por sobre os ombros. Seus olhos de jabuticaba reviravam-se já sem paciência. Metida num terninho cor de vinho com risca de giz, arrumava a gola da camisa de seda rosa, pigarreando. Olhava agora para seu pé direito, fazendo certa careta esboçando desconforto. Usava um scarpin no mesmo tom da roupa. Aproveitou que chica estava de costas e por sobre o sapato massageou o dedinho, pensando entrementes: Ai, meu Santo Agostinho, me tira dessa.
Não entendia muito de santos, mas esse foi o primeiro nome que lhe veio à cabeça.
E a conversa rolava solta ao telefone:
Era Joice que voltou pra Espanha em férias. Mas queria saber a quantas andava
sua correspondência .
De repente, ouvimos um FOM FOM! Era a Rosemari com a Rafaella. Elas traziam um embrulho enorme...
O que seria?


Um ponto que vale um conto
Alguém por favor continue daqui.


Beijos da Lu

9 comentários:

Chica disse...

E buzinavam lá da rua pois pediam ajuda para carregar o enorme pacote.

Chica, dá um tchauzinho rápido pra Joice ao telefone e sai correndo pra ajudar.

Antes pede para o João ajuda, pois o pacote parecia pesado e precisavam da força de um homem.

Finalmente, com cuidado, transportam o embrulho e colocam no hall de entrada do Quiosque.


Ninguém aguentava a curiosidade, porém nele estava escrito um nome.Era para Lu. Não podia, abrí-lo.

Foi então que todos resolveram acionar todas as possibilidades para encontrar a danada da Lu que estava atrasada, em uma reunião.


Finalmente, com ela já presente, viram um lindo baú de madeira escura, com desenhos em arabescos,e uma linda chave, bem antiga.


Lu,já pensando onde colocar aquele presente grego, pois era mais um trambolho, gira a chave, levanta a tampa e vê ali um bilhete...(podem continuar, quem quiser...)

neo-orkuteiro disse...

Não me habilito a prosseguir de onde você parou, Chica, mas isso promete e tenho certeza que virão muitas peripécias neste quiosque. Ainda estou no cafezinho e com a pilha de livros, mas dei por falta do Leandro Soriano e do Marcos Santos. Adorei a misteriosa loura de olhos jabuticaba da tal editora e estou doido pra saber o que tinha no presente de grego da Lu. Só que hoje o tempo apertou de novo. É roda viva. Viva!

Rosemari disse...

Rosemari e Rafaella entre-olharam-se, sabedoras de que Lú CAvichioli era uma mulher impulsiva e não teria a paciência necessária para abrir aqiele baú.
No entanto, sua sensibilidade atroz lhe dizia que o baú deveria ser aberto com o carinho merecido. Pediu ajuda ao Marcos Santos que sempre atento aos detalhes ,iria abrir com cuidado, pois ao contrário do que se pensava não era um presente de grego, mas sim, de amigas que amavam Lú com muito intensidade.
Quando Marcos Santos finalmente conseguiu abrir aquela caixa , boquiabertos com o que viram , todos se curvaram....

Lu Cavichioli disse...

uau isso aqui está delicioso de ler?!
Humm.... quantas possibilidades abertas... Agora é conter meus impulsos e esperar pra ver o que chegou pra mim.

Meus sais! Quem se habilita a abrir o pacote comigo?

tita coelho disse...

Opa cheguei no final... Faz tempo que não venho ler aqui no quiosque por falta de tempo, não me arrisco a terminar :)
Mas gostei da dinêmica, vocês são ótimos!
Abraços

Chica disse...

O que encontramos?

Lu olhou e ali dentro,havia um envelope branco escrito com tinta azul royal, numa caligrafia daquelas bem caprichadas, embora trêmula...Via-se que quem escrevera o fizera com emoção...

Lu toda curiosa, abre e ali está escrito: Para o QUIOSQUE com carinho...

Eram bilhetes aéreos, um pacote de viagem para todos os membros e dois amigos do Quiosque realizarem junto com elas, o sonho de Rafaella de ir para Buenos Aires dançar um tango.

- Mas então, pra que esse enorme baú?

Apenas o envelope bastava, indaga Lu...
Rosimari e Rafaella então responderam:

- Para colocar tudo aquilo que possa atrapalhar nossa viagem como preocupações," grilos", desculpas furadas e deixar assim todos livres, leves e soltos para essa aventura entre amigos... Quando sonhamos juntos o sonho fica mais lindo!
Foi uma festa no Quiosque e ...

Rosemari disse...

ai apareceu Leandro Soriano, cabisbaixo, pensativo e ao mesmo tempo carregado de energias positivas para incentivar a viagem.
_ Vamos, vamos todos!!Vai ser uma aventura e tanto, dançaremos o tango em Buenos Aires com a Rafa, comtemplaremos a natureza com o Luiz Ramos e faremos muitos "clicks" com a camêra sempre ligada de Marcos Santos.
_Encontraremos a Joice Worn que vem de Cataluma só para aventurar-se conosco e decifrar os mistérios desse sonho que esta dentro do baú.

Lu Cavichioli disse...

Depois de todas essas emoções, nos demos conta de que Valentina(já sem sapatos), dormia no sofá da Memória instalado no jardim de inverno do Quiosque.

Mas essa é outra história.
**********************************************

Queridos: Chica, Rose, João que passou de fininho e saiu a francesa, foi muito boa e rica essa experiència que foi compartilhada com maestria.
Fica em aberto, noutra postagem, mais aventuras do Quiosque.
Quem quiser que conte outra.

Adorei tudo!
ultrabeijos

Ramosforest.Environment disse...

Pena!!
Não participei porque estava muito ocupado com o Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, realizado no Rio de 22 a 25 de julho corrente.
Abraços
Luiz Ramos