No Balcão do Quiosque

sábado, 1 de outubro de 2011

CABELO CHAPADINHO É TUDO IGUALZINHO


Passeando pelos caminhos desimportantes das redes sociais, me deparo no FacebooK com uma foto postada por meu sobrinho, onde posam ele e mais quatro adolescentes, sendo destes quatro meninas. Fixei meu olhar sobre o retrato e inquietei. Neste instante se abateu sobre mim uma dúvida cruel acerca do real caminho para o qual segue a humanidade. Deprimi.

As meninas, todas elas, exibiam um longo e moreno cabelo liso. Todos iguaizinhos. E fui tomada de uma subida vontade de exterminar todas as chapinhas sobre a face da terra. Quem sabe a partir desse ato extremo, o estilo pessoal mostre a cara. As meninas pareciam quadrigêmeas ou lindas japonesinhas...

Minha sobrinha Giovanna, também parte dessa espécie sui generis, os adolescentes, veio ralhar comigo depois de ler uma frase metida a engraçadinha dessa que vos escreve, comentando o tema desimportante também lá no Face. Ela disse: “Memem, mas elas gostam, acham bonito”... Eu respondi: “Acham bonito nada! Elas apenas seguem o padrão. E nesse momento usar a famigerada exterminadora de cachos é a onda”... Ela riu. Talvez não compreendendo minha inquietação por tamanha bobagem. Essa mocinha, inclusive, deu conta de eliminar os seus cachos tão lindos há algum tempo. Começou dizendo que era uma vezinha só e quando nos demos conta, lá estava a franja e o cabelão lambido exibido com imensa vaidade. Tudo bem...  Tudo bem... Há de se respeitar a vontade alheia. Embora dentro de mim o bichinho da repressão contra a maquininha maldita esteja aos urros.

Onde foi parar o estilo próprio? Que graça há em se ter a mesma cara da amiga, irmã, ou seja lá quem for? Bom, talvez tenha mesmo graça e eu é que estou aqui bancando a ranzinza... Devo rever meus conceitos, é o que parece. O importante é cada um estar de bem com a sua vida, sua roupa e o seu cabelo do jeito que bem o prouver.

Mas se por acaso alguém encontrar um cacheado por aí, aprisione-o imediatamente! Ao menos pelo tempo suficiente de se fazer uma clonagem, essa espécime em extinção deve estar a salvo...

Findo aqui essa reflexão que não mudará em coisíssima nenhuma o andar da carruagem onde até os cavalos tem a crina chapada.

Uns beijos.


Por Milene Lima

9 comentários:

Denise disse...

Inquieta Mi_lene...adorável escritora, bem-humorada ranzinza...rsrs...tenho observado nos últimos 40 anos (os anteriores eu brincava de boneca...rsrsrsrrsrs) que as mulheres são insatisfeitas com seus cabelos - quando não com seu visual de maneira mais ampla... - e isso se comprova na tendência ao estiramento dos fios, no tingimento, no encaracolamento, no descolorimento, no alongamento...sem falar na cor, comprimento, corte, franja, desfiado, camadas...aff...somos diferentes tb...rsrs

Adorei!!!!
Bjão!

Andréya disse...

até cavalo é chapeado é.. rsrsrs
Só vc mesmo com esse seu jeito todo
especial de ser e dizer...

Mas é como comentei la no face.
Quando liso..
Querem cachos!
Quando cachos...
Querem lisos!
rsrsr beijo memem amada!

Marcos Santos disse...

Quando eu era moleque, minhas primas ficavam idolatrando meu cabelo liso. Hoje, que boa parte dele se foi, nenhuma delas vem elogiar minha calva.
Adorei.

Xipan Zéca disse...

Ô!! nega du cabelo duro... Qualé o penti qui te penteia?

- A moçada pega no pé do tempo do "paz e amor" mas entram na berlinda com as tendências da moda... rsss

Deusssssssskiajude
Beiju
Milouquinha....

P.S.- NOSSSSSSSSSA !!! QUE BANNER BUNITUUUU ... Quem FAzêu?

Bejuuus Tatto

R. R. Barcellos disse...

Chapinha? Não é aquela tampinha metálica de cerveja engarrafada? Aquela que carece um abridor "ad hoc" ou os dentes de um babaca metido a macho - para gáudio dos protéticos?
Você tem razão, Mi... onde ficaram os lindos "caracóis dos teus cabelos", cantados pelo Rei? Nem no Rei Leão...
Beijo.

cidinha disse...

Ola, amiga Milene. Adorei o texto. Pois não se ve mais cachos, é uma pena. Os meus são lisos naturaes e adoraria ter um cachinho! Bjos.

Ivan disse...

Sou fã de cabelos cacheados, adoro ir em shows de sambarock e ver as meninas de black-power... Odeio padronização!
Abraço

Lu Cavichioli disse...

Kkkkkkk Oi Mi nina..... nem tinha visto o texto aqui no Quiosque.

Sabe que vc explorou um tema que tb me inquieta? Ahhh, e como!

Chapinha é fichinha perto dessas escovas progressivas e assassinas de cabelos e vidas alheias. To fora!

O bom mesmo é ser natural! De vez em quando variar é bom, mas forçar... Daí acho bobagem. Mas como vamos explicar pra essas danadinhas dessas meninas de hoje? Ah, e os meninos tb entraram nessa. Tenho um sobrinho que alisa o cabelo. AHHH MEUS SAIS!

Demorou pra aparecer hein pequena notável, mas tu voltaste em grande estilo.

bacio caríssima!

João Esteves disse...

Concordo com você, Milene.
Chapinha, pra que te quero?
Sua implicância com a dita pelo menos rendeu esta postagem de leitura agradável aqui no Quiosque, viajando pela fauna e tudo, eta! Mas as crinas 'chapadas' (adorei isso) o são naturalmente, e ainda bem. Seus portadores estão literalmente 'andando' pra todos os ditames da moda, o que não se dá com a ampla maioria das meninas e mesmo alguns meninos. Fazer o quê, né? Até pra falar dessas 'desimportâncias', você mostra muito bom humor e muito mais personalidade do que se passasse a tal chapinha nas palavras pra elas saírem de acordo com seabe-se lá que cânones.
Uns beijos pra ti também.