No Balcão do Quiosque

terça-feira, 26 de maio de 2009

O Quiosque e as relações sociais


Quiosque do Pastel é uma imagem muito expressiva, que faz lembrar-me da carrocinha de pipoca na praça central da minha cidade natal. As pessoas reuniam-se na praça para relacionar-se com os mais variados objetivos. A menina passeava na praça para encontrar as amigas e ver aquele garoto que lhe interessava ou para encontrar seu grupo de amigas. O garoto circulava pela praça, normalmente no sentido contrário ao seguido pelas meninas, o que provocava encontros premeditados a cada volta pela praça ou após a saída do cinema. As mães levavam seus filhos para passear, os pais acompanhavam seus filhos e aproveitavam para encontrar amigos. Muitas vezes havia acontecimentos como uma audição da banda de música da cidade no coreto do centro da praça ou a leitura de poemas e crônicas na sala da biblioteca junto ao coreto.

A carrocinha de pipoca, algumas vezes era transformada em posto de venda de outras guloseimas e parada obrigatória dos grupos de meninas e garotos para aprofundar a conversa com aquele ou aquela pretendente. Um pacote de pipocas oferecido poderia ser o mote para iniciar um relacionamento mais duradouro ou para provocar uma desilusão repentina e definitiva.

Em minha vida, tenho conhecido muitos quiosques, considerando-se a figura como um ponto de encontro, realizações e desilusões. Materialmente, conheci belos quiosques em cidades brasileiras e outras cidades de países por onde passei. Afetivamente, consegui transformar meros encontros na praça em duradouros relacionamentos, no que se refere à família, amizade e profissão.

Faço votos que este Quiosque do Pastel cumpra seu papel e funcione por muitos anos.

Luiz Ramos

Rio de Janeiro, 26 de maio de 2009

Foto: ramosforest©

8 comentários:

Lu Cavichioli disse...

Oi Luiz, sua crônica de estréia veio a contento porque a idéia central de seu ,texto , tem tudo a ver com a proposta do Quiosque: UM PONTO DE ENCONTRO, NÃO SÓ DE SEUS COLABORADORES MAS TAMBÉM DE TODOS QUE AQUI VIEREM PORQUE SEMPRE VAI TER ALGUÉM NO BALCÃO PRA FAZER AS HONRAS.

A CHAVE DO QUIOSQUE AGORA É SUA TAMBÉM.
Obrigada por compatilhar.
beijos

Madalena Barranco disse...

Ahh, que ideia legal!! Lu, a crônica do Luiz é sem dúvida o ponto certo do pastel. Adorei!

Beijos

Anne Lieri disse...

Excelente cronica de abertura!Um blog diferente vcs estão criando e voltarei sempre!Abraços,

Rosemari disse...

Oi Luiz

Que delicia de crônica, tem tudo a ver com os pastéis.

♥ Denise BC ♥ disse...

Luiz
Torno a parabenizá-lo pelo ótimo texto de celebração do Quiosque do Pastel.
Abraços

Chica disse...

Achei tua crônica muito boa e lembrei desses pontos de encontros, que passamos pela vida. Muito legal!um abraço,tudo de bom,chica e que possamos nos encontrar bastante vezes por aqui com todos os pasteleiros,rsrs,não é?

Darwin Bruno disse...

Muy interesante el texto.Bonitos color de los dos blog., muy refrescante.Te deseo una semana grandiosa.Un placer visitarte.

Janice Adja disse...

Ainda existe cidades assim. Este evento vem logo depois da missa.
E quando tem um parquinho ainda é melhor.
Beijos.