No Balcão do Quiosque

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Caderninho mágico: Uma festa gramatical



Papel comum
linhas e margens
espaços em branco
hospedeiro das letras
colecionador de palavras
folhas avulsas
perdidas, desorientadas
Fonemas e encontros consonantais
harmônicos, conversam sobre cada linha.
Figuras de sintaxe se exibem no espelho das frases.
Os vícios de linguagem mancham as paredes do texto, enquanto o apóstrofo e o hífen fumam um cigarrinho na varanda da próxima página.
Do lado de fora, os numerais, querendo invadir a festa.

O abecedário em discurso:
a arte pela arte
a mão e a caneta
Dentro da pasta
o caderno
dentro do caderno
a magia
nas folhas, o bordado
de tom acentuado
elas:
AS PALAVRAS

Por Lu Cavichioli

6 comentários:

Chica disse...

Lindo,Lu! As palavras se escondem em todos os lugares, caderninhos, cadernos, livros, agendas e nós que delas gostamos, fazemos a festa.Até em férias, sonhamos com elas,rsrs...beijos do nordeste, lugar onde deveria ter nascido, mas infelizmente a cegonha me jogou lá no Sul...chica

Rosemari disse...

Lú que texto maravilhoso! Dá a impressão de uma dança de palavras que vão se encaixando em seus lugares e fazendo magicas para adultos e crianças.

beijão

tita coelho disse...

Gostei desse brincar com as palavras Lú! Bem original!
Beijos menina

Anne Lieri disse...

Lu,maravilhosa sua poesia!A sonoridade das palavras:pura vida!Bjs,

neo-orkuteiro disse...

Tenho profundo carinho pela escrita tradicional feita sobre papel, que bem pouco tenho praticado de uns tempos pra cá. Tenho uma montoeria de velhos cadernos com anotações de aulas, laivos e veleidades literárias, aguardando um momento pra entrarem nalgum arquivo eletrônico. Se eu encomendar a digitação a alguém, o serviço será de imensa dificuldade pela decifração da caligrafia que após esquecido o assunto até pra mim apresenta algumas dificuldades, que a expressão poliglota e desorganizada só faz aumentar.
Foi inevitável lembrar disso tudo ao ler este post. Viajei de novo, Lu. Acho que todo mundo por aqui pelo menos lembra dos próprios textos "autógrafos", de próprio púnho. Uma função perfeitamente desempenhada. Parabéns.

piccola marcia disse...

oi Lu,
vim deixar um recado no teu Caderninho, te dizer do prazer da tua visita ao meu cantinho e da possibilidade de, assim, estreitarmos nossos laços... pelo visto são muitos: partilhamos o amor por bons amigos, pela língua francesa, pela literatura, e por pastéis também...
e mais, irei, com você, me aventurar por Paris em teu 'Retratos'; já lá estive e nem sei bem o porquê, me comovi
sim, sempre que possível, dou uma paradinha no Quiosque, para apreciar tanta coisa e gente boa que vejo por aqui
le plaisir est pour moi, merci Lu
je t'embrasse, à bientôt