No Balcão do Quiosque

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Déjà Vu

Um ano depois e a coisa se repete. A tragédia do homem, a tragédia do ser humano, as diversas tragédias da sociedade. Mas o curioso foi a sensação de déjà vu. Por isso vou repetir exatamente o mesmo texto que postei a exatamente um ano atrás. 
Eu o intitulei de "Heróis":

Rio de Janeiro 16 de janeiro de 2010. 
Eu caminhava entre o banheiro e a cozinha, já no encerramento dos “trabalhos” daquela noite. Cruzei a sala. A tevê ainda ligada, me aguardava para que eu desse o click final no controle remoto. 
Enquanto bebia meu último copo d’água de um dia bem calorento, pude ouvir a voz do consagrado jornalista: “Vamos ver o que nossos heróis estão fazendo...”. 
Heróis? Pensei... De cara me veio em mente nossos valorosos bombeiros, mal saídos da  tragédia de Angra dos Reis, para serem enviados diretamente ao Haiti devastado. É... Esses são realmente nossos heróis.
Mas o consagrado jornalista falava, na verdade, de outro tipo de herói. Não o herói que nos enche de orgulho, que honra a nossa história. Não o herói, ou heroína como Zilda Arnz, que viveu para a entrega ao próximo, ao semelhante.  
Na verdade eram “heróis”, agora sim, entre aspas, que vivem tão somente para receber. “Heróis” capazes de passar dois meses sem fazer absolutamente nada para ninguém. Nada que não sejam intrigas, futricas, banalidades, futilidades...
A vida é feita de escolhas. Algumas pessoas, como o povo atingido pelo flagelo no Haiti, dispõe de pouquíssimas ou nenhuma. Mas existem aqueles que têm a glória de dispor de várias escolhas. Escolhas essas que, aliadas à sorte e ao talento, podem levá-las onde elas quiserem. Ao caminho da honra, da nobreza, do reconhecimento, da consagração pessoal e profissional.
Pedro Bial fez sua escolha.
Se diante dos fatos e desafios apresentados à humanidade, ele prefere rasgar sua biografia e comentar a tamanho da bunda de uma “brother”, ou a relevância do selinho de duas “bibas”...bem... quem perde é a sociedade como um todo, mas a escolha é apenas dele, somente dele.
...E eu com isso?  Eu sinto vergonha, uma profunda vergonha.
O dinheiro é importante, mas não é tudo.

...E então?  Passado esse ano, como está a sua sensação de déjà vu?
Foto: Vanderlei Almeida/AFP (Notícias Terra - Tragédia da Região Serrana)

6 comentários:

Lu Cavichioli disse...

Bom dia Marcos,

Eu me lembro bem desse texto, e na ocasião o li por duas vezes e só aumentou minha indignação.

HERÓIS... hunf! E a cada ano que passa esse festival de besteiras e bundas diverte meia duzia de retardados que esquecem do verdadeiro FEBEAPA (festival de besteiras que assola o país),e que acontece todos os dias nessa terra sem lei.

Realmente dá nojo esse lixo de programa.
A sensação pra mim é sempre mais assustadora e a tristeza é infinita ao ver imagens como essa que postou.

"PEDRO BIAL RASGOU SUA BIOGRAFIA"

MARCOS SANTOS ESCREVE PARTE DA SUA, com essa crônica histórica.

Parabéns meu amigo por colocar a boca no trombone.

abraços

Leonel disse...

O interessante é que o nome deste reality-show foi tirado do livro 1984, do escritor inglês do séc. passado George Orwell, que retrata uma sociedade opressora, onde todos são vigiados e a história é apagada e reescrita de acordo com os interesses do governante supremo, chamado Grande Irmão.
O canal de TV que veicula este programa pertence a uma megaempresa jornalística que eu vejo frequentemente manipulando e direcionando a opinião pública de acordo com os seus interesses! Como no livro, eles às vezes reescrevem a história, omitem e deletam fatos, transformam heróis em vilões e vice-versa. Nunca admitem seus erros, e fazem tudo para ter "exclusividade" em todos os setores da informação, para que apenas seja conhecida a sua versão "pasteurizada" dos fatos! Detalhe: estão sempre de braços dados com o poder político, seja de que ideologia for! Na semana passada, se referiu a um tetrahomicida foragido de uma prisão italiana
como "ex-ativista". Quem não sabe, pensa que é mesmo...
Boa bronca, Marcos!

R. R. Barcellos disse...

É isso aí, Marcos! Fiz uma postagem de mesmo título no "Sete Ramos de Oliveira". Aqui você grita contra a hipocrisia da mídia, lá eu berro contra o descaso das autoridades. Se quiser dar-me a honra, o link é: Déjà Vu
Abraços.

Dulce disse...

Excelente seu texto, Marcos, excelentes os comentários aqui deixados. Não é preciso acrescentar mais nada. Apenas assino em baixo.
Com muita tristeza.

Lu Cavichioli disse...

Leonel, vc deu um banho nesse comentário meu amigo. Eu não sabia dessa particularidade que inspirou o BBB:
big bundas brasil pra não dizer coisa pior.

A manipulação tendenciosa da referida emissora é vergonhosa, principalmente na hora dos conchavos políticos, como vc bem disse: "andam de braços dados".
Muito bom!

É o Quiosque mandando bala! BANG!

ABRAÇOS

Paloma disse...

Jamais me conformarei com a escolha
do Pedro Bial, um reporter interna-
cional,competente, fazendo reporta-
gens direto de Londres,um homem cul
to,preparado,com uma carreira bri-
lhante. Largar tudo para ficar apre
sentando aquela bobageira,sem senti
do,que é o Big Brother.O que leva
a um reporter de valor aceitar fi-
car a frente de uma coisa daquelas?